Spotify/Papelpop
Spotify/Papelpop

Dá o Play | ‘Além do Meme’

Premiado jornalista Chico Felitti traz à tona um trabalho de investigação jornalística para assuntos de variedades – no caso, o meme

Guilherme Sobota, O Estado de S. Paulo

06 de outubro de 2020 | 03h00

O dia 30 de setembro é celebrado como o Dia Internacional do Podcast e, para os produtores de conteúdo e fãs brasileiros, já não é exagero falar que 2020 foi o ano em que o formato ganhou os corações, se estabeleceu como ferramenta indispensável de comunicação e consolidou a tendência de apresentar programas bem pesquisados, produzidos, narrados e editados. Desde o dia 30 de setembro de 2019, os novos podcasts criados na Anchor, a plataforma de criação do Spotify, aumentaram em mais de 380%, segundo dados da plataforma.

No relatório Culture Next, que identifica tendências no consumo de conteúdo da mesma empresa, 64% dos ouvintes brasileiros afirmaram buscar o formato para se manterem informados ou entretidos.

É uma mistura de informação e entretenimento o que busca o premiado jornalista Chico Felitti – que além de autor de diversas reportagens nas redações pelas quais passou e livros como Ricardo e Vânia, pela editora Todavia, é excepcional produtor de conteúdo no Instagram, frequentemente acompanhado pelas suas cachorras, salvo engano, chamadas Feia e Cãonela. Mas esse é outro assunto.

Em Além do Meme, produção conjunta sua com o podcast Um Milkshake Chamado Wanda, o Papelpop e o Spotify, ele traz à tona um trabalho de investigação jornalística para assuntos de variedades – no caso, o meme – e apresenta entrevistas e histórias de episódios da TV, rádio e internet que viralizaram, mesmo antes de essa palavra entrar no vocabulário cotidiano.

No primeiro episódio, lançado há uma semana – mas gravado em junho de 2019, evidenciando o tempo alongado de produção de que um bom programa necessita –, Felitti vai até Guarulhos entrevistar a Beth do famoso “trote da Beth”, veiculado pelo programa Chupim, da Rádio Metropolitana, ainda em 2008. Sucesso imediato, o áudio foi parar no YouTube e ganhou mais de 40 milhões de visualizações na era da internet banda larga. Enfim, um meme.

O trote é conhecido: uma produtora do programa (que sabemos, no podcast, era sua nora) liga para Beth e faz perguntas genéricas, e a conversa é gravada. Em outra ocasião, o Chupim liga novamente para Beth, mas coloca em resposta as gravações da voz dela.

Mesmo para quem nunca ouviu, o podcast conta com carisma a história da dona de uma escola de música na Alameda Yayá, elementos presentes no trote que levaram, segundo as contas do apresentador, a outros 3 mil trotes desde a veiculação do programa na rádio. O humor “natural” do podcast dá validade a um questionamento que o próprio Felitti apresenta. Na entrevista com o apresentador do Chupim, Beby (Marcelo Barbur), o homem da rádio diz que já não é possível fazer piadas com antigamente, e que o mundo está chato. Bom, se estiver, não é por falta de humor de qualidade, como o Além do Meme conseguiu provar em apenas dois episódios até aqui.

Ouça o Além do Meme aqui.

É JORNALISTA ESPECIALIZADO EM COBERTURA CULTURAL NO ESTADÃO

Tudo o que sabemos sobre:
Spotifyjornalismointernetmemepodcast

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.