Cultura retoma publicidade infantil

 

Cristina Padiglione,

05 de novembro de 2010 | 11h17

Desde 2008 sem exibir propaganda durante a programação infantil, iniciativa do então presidente da Fundação Padre Anchieta, Paulo Markun, a TV Cultura voltará a abrir esses intervalos a anunciantes a partir de 2011. A decisão de rever a medida foi admitida ontem, durante o Fórum de Marketing Legal, promovido pela Associação Brasileira de Anunciantes (ABA), por Flávia Cutolo, gerente de marketing da TV Cultura. Segundo informações online do Propaganda & Marketing, para Flávia, movimentos e análises da sociedade revelam que a criança tem, sim, percepção crítica para discernir publicidade, a ressalvar apenas o cuidado de evitar anúncios inadequados.

 

 

 

 

 

 

 

Bolivariano

Sem saber quem foi Simón Bolívar, Querêncio/Taumaturgo Ferreira pinta um quase retrato do revolucionário. Candidado a prefeito em Ribeirão do Tempo, a novela da Record, ele é alertado por Flores/Antonio Grassi sobre a coincidência. E há de se considerar predestinado para a política.

 

 

 

 

 

60

filmes publicitários já foram gravados num único dia pela produtora Mixer, a fim de abastecer os comerciais das Casas Bahia em todo o País

 

 

 

 

"O Lula me falou: ‘dos repórteres que cobriam as greves no ABC, só você não branqueou’" Carlos Nascimento, em entrevista ao De Frente com Gabi. Domingo, no SBT

 

 

 

Paola Oliveira fez tudo o que pode para despistar a imprensa na entrevista coletiva da nova série da Globo, Afinal, o Que Querem as Mulheres?, anteontem, numa galeria de arte na Gávea, no Rio. “Disso a gente fala na próxima coletiva, tá?”, repetia ela aos repórteres, que só queriam saber sobre seu papel em Insensato Coração.

 

A atriz, aliás, deu um jeito de aparecer com os cabelos cacheados, algo bem diferente do que a sua personagem na próxima novela das 9, Marina, usará. A ordem na Globo é poupar a imagem dela, para evitar o desgaste até o lançamento da novela.

 

Também na coletiva, como relata a jornalista Patrícia Villalba, do Estado, para esta coluna, evento cheio de musas, Vera Fischer contou que tem nada menos do que dez livros escritos em casa, aguardando publicação. “Vou lançar um por vez”, planeja ela.

Rodrigo Santoro se jogou na Rua Uruguaiana, reduto tradicional de camelôs no centro do Rio, em nome do especial de fim de ano de Regina Casé, Papai Noel Existe.

Vestido de Robson,com cabelo moicano descolorido e óculos espelhados, Santoro caminhou por oito quarteirões da Uruguaiana misturado à multidão, sem ser reconhecido. “Tive dúvida se seria um personagem pra mim, mas essa foi a prova que eu precisava de que conseguiria fazer o personagem autêntico”, disse ele também a Villalba.

 

O Jornal da Band quer a parte que lhe cabe nos créditos ontem aqui mencionados sobre quem entrevistou Dilma Rousseff primeiro e quem a levou para a bancada ou promoveu link em hotel. Aos fatos: a Record fez a primeira entrevista, em hotel, a Globo a levou primeiro à bancada, ambas na segunda-feira. Na terça, Dilma presidente falou ao SBT, de novo em um hotel, e ao Jornal da Band, dessa vez em bancada. E fim de assunto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.