Cultura presta homenagem ao "Velho Guerreiro"

Neste domingo, a TV Cultura faz uma homenagem ao "Velho Guerreiro" e estréia o especial Arquivo Cultura, às 16 horas, com uma entrevista que Chacrinha concedeu ao extinto Vox Populi, em janeiro de 1979. Na época, José Abelardo Barbosa de Medeiros estava com 61 anos e lembrou grandes momentos de sua vida, como a criação do personagem Chacrinha, responsável pelo lançamento de tantos artistas brasileiros. Falecido em 30 de julho de 1988, Chacrinha foi um dos maiores comunicadores da televisão brasileira. Com seu jeito irreverente, traduzido na distribuição de "abacaxis" como troféus aos calouros reprovados e arremessos de pacotes de farinha e pedaços de bacalhau à platéia, Abelardo Barbosa criou um gênero popular, que atingiu, ao mesmo tempo, todas as classes sociais. Criador de frases marcantes, repetidas à exaustão até hoje, o comunicador também fez fama com "pérolas" como: "Eu vim aqui para confundir e não para explicar", "Quem não se comunica, se trumbica" e "Na TV, nada se cria, tudo se copia".Durante o severo regime militar, em que o País era obrigado a obedecer ordens, Chacrinha explorava com maestria a beleza, e sobretudo, o traseiro de suas chacretes, a quem nos bastidores tratava como filhas e protegia do ataque dos mais ousados. "Eu mentalizo o tipo de mulher que a pessoa de casa gosta", disse ele ao Vox Populi, lembrando que os únicos critérios imprenscindíveis para a escolha das chacretes era saber dançar, fotografar bem, mostrar simpatia e um belo visual. "Workaholic" assumido, Chacina dedicou toda sua vida ao trabalho. "Acima de tudo, tentei dar ao meu programa um aspecto tropical, nordestino", costumava explicar o "Velho Guerreiro". Mas a tarefa para a qual ele próprio se incumbiu não era muito fácil. "Deus sabe o que me custa fazer esse tipo de programa na nossa TV tão massificada e dilacerada pela TV estrangeira", dizia. Gilberto Gil foi um dos artistas que homenageou Chacrinha, incluindo citações sobre o "Velho Guerreiro" na canção Aquele Abraço. Depois da morte de sua morte, nenhum outro apresentador conseguiu se aproximar de seu carisma junto ao público. Saudosos dos bons tempos, 54 artistas daquela geração lançaram no ano passado uma coletânea com seis Cds, reunindo sucessos do brega nacional que fizeram sucesso nas décadas de 70 e 80. Os CDs trazem de volta artistas como Almir Rogério, Odair José, Gilliard e Wanderley Cardoso, entre outros.E mesmo depois de tanto tempo de sua morte, Chacrinha continua apadrinhando toda a turma: graças à participação nessa coletânea, nomes como Gretchen e Sidney Magal voltaram à mídia com bastante destaque.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.