Cultura no Rio terá R$ 40 milhões de loteria

A loteria cultural, sonho de dez entre dez secretários estaduais da área (e do ministro Gilberto Gil), começa a sair do papel no Estado do Rio. Na próxima quarta-feira, um ano depois de ter sido anunciada pelo então secretário de Cultura Antonio Grassi (que agora tenta implantá-la em nível nacional), entra em funcionamento no Estado do Rio, com grande campanha publicitária estrelada pelos atores globais Carolina Dieckman e Vladimir Britcha. O nome comercial será LigaRio.É um investimento de R$ 10 milhões da empresa InterTV, que a criou e vai operá-la. O primeiro sorteio está marcado para 2 de novembro e 10% da arrecadação vai para os projetos selecionados pelo Fundo Estadual de Cultura, criado para gerir a verba. Até o fim do ano deve acontecer novo sorteio e um terceiro está previsto para o carnaval de 2004. Os planos são de realizar dez sorteios por ano, que renderão R$ 40 milhões para a Secretaria de Cultura.Tudo isso foi anunciado pela secretária Helena Severo a uma platéia de artistas, dos quais Fernanda Montenegro era a mais curiosa. Ela perguntou como funciona o jogo e ficou sabendo que as apostas serão feitas por telefone (09500 123 002) ou internet (www.09500.tv) e vão custar R$ 3,00 a unidade. Do total arrecadado, 41,7% serão a premiação (que terá um piso de R$ 100 mil), 17,7% vão para a área social (exigência legal), 15% para as telefônicas e os cartões de crédito que venderão a loteria, 16% para os operadores e os 10% para a cultura. "A cada edição da loteria, a verba obtida é destinada a uma área. A da primeira vai para a construção, modernização ou criação de bibliotecas e o incentivo à leitura", adiantou Helena. Segundo ela, com a loteria, a verba estadual para cultura sobe para R$ 120 milhões por ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.