Cultura muçulmana na novela das oito

Alvo de hostilidade e preconceito no mundo desde os ataques terroristas aos Estados Unidos, na semana passada, a cultura muçulmana foi a grande estrela do lançamento da próxima novela das 8 da Globo, O Clone, promovido pela emissora ontem, no Rio. Estúdio decorado à moda marroquina, com tapetes e lanternas, quitutes típicos no bufê e show de dança do ventre fizeram parte do evento, além de uma visita ao Marrocos cenográfico, onde parte da novela foi gravada."O Marrocos não sairá da história e acho oportuno que exista uma família muçulmana", diz a autora, Glória Perez. O diretor de Núcleo Jayme Monjardim acha que os acontecimentos mais recentes só despertam a curiosidade das pessoas para a cultura muçulmana. Glória acredita que a novela pode até ajudar a diminuir o preconceito contra os muçulmanos, "na medida em que vai mostrar uma família comum". "Terroristas existem em qualquer lugar do mundo e não vamos mostrar como eles se formam", ela afirma. "Nós estamos fazendo novela e não Globo Repórter".Na história, o patriarca muçulmano é interpretado por Stênio Garcia. O ator literalmente vestiu a camisa de seu personagem. Ele foi ao evento com uma camiseta comprada no Marrocos, onde se lê "o melhor entre vós é o melhor para sua família". "Farei o que for possível para ajudar a conscientizar as pessoas de que o islamismo e a religião muçulmana não têm relação com terrorismo", diz o ator, que é cristão e tem lido o Alcorão para melhor interpretar Ali.A novela estréia no dia 1.º e tem no elenco, entre as estrelas, Murilo Benício, Giovanna Antonelli, Vera Fischer e Reginaldo Faria.

Agencia Estado,

19 de setembro de 2001 | 16h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.