Cultura eletrônica agita São Paulo com o Sonarsound

O som híbrido da big band do produtor inglês Matthew Herbert abre hoje, no Teatro Abril, um megafestival de cultura eletrônica em São Paulo, o Sonarsound, versão nacional da mostra que já agita todo ano Barcelona. Criando jazz orgânico sobre bases eletrônicas, o pianista Herbert é símbolo de um conceito crossover de linguagens, o que a organização acha que melhor traduz sua intenção. Música eletrônica e arte multimídia, instalações e debates, cinema e arte digital. São mais de 50 artistas até domingo. A empresa CIE de São Paulo comprou por três anos os direitos do festival espanhol Sónar para montar na cidade, e espera receber 30 mil pessoas nos espaços especialmente montados para essa primeira edição - no Credicard Hall, além da casa de espetáculos, há uma enorme tenda montada no estacionamento, e o Instituto Tomie Ohtake, que recebe os eventos diurnos da mostra, abrirá todos os seus cinco andares para a festa. O festival descansa amanhã e volta na sexta-feira para uma maratona de três dias e duas noites. As vedetes são o tecno e o hip hop, mas outras vertentes também aparecem no leque de opções. Embora apoiado no termo "experimental", o Sonarsound contempla nomes um tanto quanto populares na música eletrônica - como os DJs Laurent Garnier (França) e Jeff Mills EUA. Garnier é figurinha carimbada do Sónar espanhol e seu set costuma surpreender com misturas inusitadas. Já Mills é considerado o guia de diversos caminhos pelos quais o tecno enveredou no começo dos anos 90. Além deles, destacam-se o francês François K, de house, e o chileno Ricardo Villalobos, que mora na Alemanha e faz um tecno minimalista cheio de sugestões para o futuro da dance music. O hip hop vem representado por nomes da cena underground - como Prefuse 73 EUA, Beans EUA e Kid Koala CAN. A arte multimídia estará na exposição Sonarama com sete trabalhos nacionais e três estrangeiros. No SonarCinema, 12 filmes da programação do último Sónar espanhol retratam "o cinema feito para os ouvidos". Já o BrasilCinema traz vídeos de curta duração (Brasil_Design) e documentários com linguagem fora do padrão (Brasil_Docs). O Sonarsound SP é uma realização do projeto Nokia Trends, uma ação de marketing da Nokia que tem a ambição de detectar e aproximar "novas formas de consumo da informação pelos meios eletrônicos". Sua primeira grande aposta foi a apresentação de Fatboy Slim, em março, no Rio, para 200 mil pessoas. A programação completa pode ser acessada no site www.nokiatrends.com.bra. Sonarsound - Credicard Hall (Av. Nações Unidas, 17955, tel. 68 46-6010), Instituto Tomie Ohtake (R. dos Coropés, 88, tel. 2245-19 00) e Teatro Abril (Av. Brig. Luiz Antônio, 411, Tel. 6846- 60 60). De R$ 25 a R$ 100.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.