Cuba dispõe documentos de Hemingway

Cuba permitirá ao Conselho de Pesquisas de Ciências Sociais dos EUA reproduzir documentos originais da coleção do museu do escritor americano Ernest Hemingway, em Havana. "A assinatura deste acordo faz parte da preservação do patrimônio do escritor", disse a presidente do Conselho Nacional de Patrimônio Cultural da ilha, Marta Arjona Pérez."A assinatura deste acordo faz parte dos compromissos de colaboração para a preservação do patrimônio do escritor americano", disse Marta à EFE.Segundo ela, este documento está baseado no Primeiro Acordo assinado entre ambas as partes no ano de 2002, que regula as atividades essenciais para a conservação do patrimônio documentário legado a Cuba pelo célebre escritor.A coleção de documentos, que permaneceu guardada na casa onde o romancista viveu por longo tempo, inclui 3.000 cartas, documentos, e manuscritos de algumas de suas obras, assim como mais de mil de fotografias e 9.000 livros.A reprodução em suporte digital e microfilme dos documentos originais da Coleção Hemingway do Museu Ernest Hemingway em Havana, serão entregues à Biblioteca do Congresso John F. Kennedy, dos EUA, para ser utilizados por especialistas e estudiosos da vida e obra do escritor.O Conselho Nacional de Patrimônio Cultural e o Conselho de Pesquisas das Ciências Sociais dos EUA acreditam que os benefícios derivados do acordo ajudarão ao melhor entendimento da vida e da obra do romancista em seu período cubano.Hemingway escreveu em Cuba um de seus romances mais famosos, O Velho e o Mar, com o que ganhou o Pulitzer em 1953, um ano antes de receber o Nobel de Literatura.Em Cuba, Hemingway também escreveu Por quem os Sinos Dobram (1940) e as fábulas O Bom Leão e O Touro Fiel, entre outras obras.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.