Crônicas de Mauro Rasi saem em livro

Mauro Rasi pretendia reunir em livro algumas das crônicas que publicava às segundas-feiras no jornal O Globo. Passou anos ensaiando a seleção até que finalmente começou, com o auxílio da amiga e jornalista Anna Accioly. Não conseguiu, porém, ver o trabalho terminado: no dia 22 de abril, aos 54 anos, o dramaturgo morreu em sua casa, no Leblon. Anna manteve o projeto, que resultou no livro Eu, Minhas Tias, Meus Gatos e Meu Cachorro (Ediouro, 256 páginas, R$ 29).O lançamento acontece hoje, a partir das 19 horas, no Copacabana Palace, onde a atriz Cláudia Netto vai cantar algumas canções inéditas preparadas por Rasi para o musical Ladies na Madrugada. Está confirmada também a presença dos atores Miguel Falabella, Guilherme Piva e Cláudia Gimenez, que vão ler algumas crônicas. Dois dias depois, o livro será lançado em Bauru, onde Rasi nasceu. Na sexta, o evento ocorre na Universidade do Sagrado Coração, às 20 horas, quando uma placa será descerrada, oficializando a troca do nome do Teatro Veritas para Teatro Mauro Rasi.As crônicas de Eu, Minhas Tias, Meus Gatos e Meu Cachorro foram ordenadas cronologicamente, com textos de janeiro de 1996 a novembro de 2002. Revelam uma mordacidade própria, em que Rasi expõe seu universo pessoal da mesma forma com que fazia nas peças de teatro. Ao dosar na medida certa reminiscências familiares com assuntos do dia, ele conseguiu se transformar em um dos colunistas mais lidos do jornal. O segredo é revelado no prefácio que deixou escrito: "Uma coluna é como uma festa: a mistura é fundamental. Tem que saber dosar informação com elogios, poucos, de preferência; alguma maldade, muita ironia, um pouco de bom senso (muito pouco) e um caldeirão de futilidades e segredos, mesmo que não verdadeiros."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.