Crivella diz ser contra ida da mostra 'Queermuseu' para o Rio

Em vídeo publicado no Facebook, prefeito criticou exposição que gerou polêmica em outros Estados por causa de obras que faziam suposta apologia à pedofilia e a zoofilia

Mariana Durão, O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2017 | 21h56

RIO - O prefeito do Rio, Marcelo Crivella (PRB), publicou neste domingo, 1, no Facebook, um vídeo no qual rechaça a vinda da mostra “Queermuseu” para o Rio. A exposição realizada pelo Santander Cultural em Porto Alegre acabou fechada após protestos de um grupo de pessoas ligados ao Movimento Brasil Livre (MBL). Para o movimento, as imagens eram ofensivas e faziam apologia à pedofilia e zoofilia. Crivella parece alinhado com esse entendimento.

 

No início do vídeo, um grupo de pessoas afirma: "eu não quero no Rio de Janeiro exposição de pedofilia e zoofilia".  O prefeito aparece logo em seguida. “Tá vendo? É por isso que aqui no Rio a gente não quer essa exposição. Saiu no jornal que ia ser no MAR (Museu de Arte do Rio). Só se for no fundo do mar, porque no Museu de Arte do Rio não”, diz Crivella.

 

Na mesma publicação, na descrição do vídeo, algumas frases parecem fazer referência à exposição em que o artista fluminense Wagner Schwartz se apresentou nu, no Museu de Arte Moderna (MAM) de São Paulo.  A interação de uma criança acompanhada pela mãe com o artista durante a performance gerou polêmica nas redes sociais e protestos fora delas. O vídeo postado por Crivella hoje traz as seguintes afirmações:  “Não é legal estimular uma criança a tocar em um homem nu em "nome da arte"” e “É preciso respeitar a família, vamos cuidar das nossas crianças!”.

Mais conteúdo sobre:
Queermuseu Marcelo Crivella

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.