Críticas

SOUL

, O Estado de S.Paulo

02 de outubro de 2010 | 00h00

PHIL

COLLINS

GOING BACK

Warner Preço: R$ 29

Phil volta ao estúdio para regravar o beabá

Desde o início de Going Back, Phil Collins deixa claro que não almeja nada além de ganhar alguns milhões e voltar para o quentinho do seu chateau suíço, onde mora desde os anos 90. Mas ao contrário de outros leões consagrados que lançaram discos em 2010 (Sting, Brian Wilson) há uma boa dose de entrega em sua performance. O repertório, hits da Motown que marcaram a juventude do baterista, foi escolhido com carinho e reproduzido em arranjos quase iguais aos originais. Phil os toca com raça, refazendo os clássicos grooves com precisão e balanço apesar de ter de amarrar as baquetas nas mãos (resquícios de um problema neurológico que teve no início da década). O bom suingue com que canta Heatwave e Papa Was a Rolling Stone gera versões honestas e entusiasmadas dos hits. Phil parece estar quebrando tudo no karaokê de casa, realizando um fetiche engasgado desde a juventude que dá a Going Back uma boa chance de equiparar o sucesso dos songbooks de Rod Stewart - mesmo que, no dois casos, ouvir os originais seja sempre melhor. / ROBERTO NASCIMENTO

OUÇA TAMBÉM

BAND OF GOLD

Artista: Freda Payne. Álbum: Unhooked Generation. Gravadora: Castle Music. Preço: US$ 40 (Amazon).

MPB

BÁRBARA EUGÊNIA

JOURNAL DE BAD

Independente. Preço: R$ 20

Afinada, Bárbara Eugênia brilha com sentimento

No disco de Bárbara Eugênia, Journal de BAD, fica difícil apontar o que se destaca, se é a voz, as letras ou o instrumental. Nada melhor do que isso. O álbum, muito superior aos das pouco talentosas cantoras do termo gasto "nova MPB", é de uma coesão musical bonita de se ver. Há letras tristes, de dor, sim, mas classificar o álbum como um bastião da fossa, é leviano. A essência disso fica a cargo do gênio Lupicínio Rodrigues, não combina com Bárbara apenas exaltar o cotovelo dolorido. Ela é mais do que isso. E ainda tem o privilégio de deitar sua voz que consegue combinar afinação e sentimento, na cama instrumental feita por gente da pesada, como Dengue, Pupillo, Junior Boca, Regis Damasceno, Guizado, Rica Amabis, Rian Batista e Karina Buhr (que toca congas no disco). Além disso, é cercada de participações de Tom Zé, Edgard Scandurra, Otto e Tatá Aeroplano. Destaque para temas como Dor e Dor, Drop The Bombs, É Rapaz (samba dolente com quentíssima introdução com naipe de metais), Ficar Assim, Haru e O Tempo. / LUCAS NOBILE

OUÇA TAMBÉM

JANELA

Artista: Nina Becker. Álbum: Vermelho. Gravadora: Núcleo Contemporâneo.

Preço: R$ 28.

ROCK

LINKIN PARK

A THOUSAND SUNS

Warner Music. Preço: R$ 35

Linkin Park pira e faz sua "Carmina Burana" hardcore

Headliner do festival SWU, o grupo Linkin Park talvez seja a banda que deu a guina[/ ]da mais extraordinária nesse ano de 2010. Seu novo álbum, A Thousand Suns, foi descrito por Mike Shinoda, cérebro da banda, como "mais para Pollock do que para Andy Warhol", o que dá a medida do "desmanche" que fizeram em sua base de hardcore. Com produção de Rick Rubin, o disco é um mergulho num universo paralelo de sons abstratos, ecos, narrativas apocalípticas, em universo alucinatório. Requiem, o tema de abertura, é a Carmina Burana do rap metal. É incrível, mas o CD pode lembrar também Moby, em Burning in the Skies, Chester Bennington (foto) cantando fofinho. Robot Boy parte de um motivo pianístico. É música de um tempo impreciso: Jornada del Muerto poderia ser trilha de sequência de Conan, o Bárbaro. Wretches and Kings é um antimanifesto da civilização maquinista, com scratch, metal e hip hop. Pior que é bom. / JOTABÊ MEDEIROS

OUÇA TAMBÉM

STARSUCKERS, INC

Artista: Nine Inch Nails. Álbum: The Fragile. Gravadora: Nothing Records/Interscope, 1999. Preço: R$ 29.

POP ROCK

KT

TUNSTALL

TIGER SUIT

EMI

Preço: R$ 28,80

Uma promessa do pop fica no zero a zero

KT Tunstall estava em franca evolução desde 2006. Seu disco de estreia, Eye to the Telescope, trouxe melodias agradáveis e bem-arranjadas. O trabalho seguinte, Drastic Fantastic, aprimorou seu estilo pop acústico de tons country. No entanto, o recém-lançado Tiger Suit soa como a fita demo destes discos. A produção é estéril, feita com uma mescla de timbres acústicos e batidas eletrônicas na veia da também britânica Lilly Allen. Para compensar a fraqueza das canções, KT apela para o blues e assume uma postura de bad girl que, embora já tenha feito bem, aqui soa forçada. / R.N.

OUÇA TAMBÉM

RABBIT HEART (RAISE IT UP)

Artista: Florence and the Machine.

Álbum: Lungs. Gravadora: Republic. Preço: R$ 60.

POP

SEAL

COMMITMENT

Warner

Preço: R$ 29

O déjà vu de uma estrela dos anos 90

O pop otimista de Seal mudou pouco desde a época de Kiss From a Rose. Refrões grandiosos e cristalinos, acompanhados de violões de aço e arranjos orquestrais (marca registrada de tantos hits dos anos 90) ainda formam a base de suas gravações, fazendo de Commitment mais um exercício em recriação do que um novo trabalho. Até as batidas eletrônicas têm um ranço "noventista" que, embora soe datado, não impede o cantor de segurar a onda relativamente bem por 11 faixas. Pena que ele não transite mais pelo território rítmico que lhe parece tão familiar, como faz na funk soul Best of Me. / R.N.

OUÇA TAMBÉM

BABYFATHER

Artista: Sade.

Álbum: Soldier of Love.

Gravadora: Sony. Preço: R$ 20.

MPB

LUCIANA MELLO

NEGA

S de Samba Preço: R$ 30

A velha pergunta persiste: quem é Luciana Mello?

Algo acontece com Luciana Mello desde sua origem como cantora de massa. O tempo passou e ela não conseguiu se colocar, um fenômeno que não se explica fácil. Aqui, no disco Nêga lançado pela S de Samba, o mistério se impõe de novo. A bela voz e a carismática figura de Luciana não seguram o trabalho que começa cheio (Na Veia da Nêga), com canções para pista (Pra Ver Você Chegar), passa por baladas (Rosas e Mel) e deságua no maior risco: Only You. Aqui a coisa degringola, a voz de Luciana desanda e o disco perde o rumo de vez. E a pergunta persiste: quem é Luciana Mello? / J.M.

OUÇA TAMBÉM

EU TAMBÉM TIVE UM SONHO

Artista: Jair de Oliveira

Álbum: Simples

Gravadora: Unimar. Preço: R$ 21.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.