Críticas

FOLK

, O Estado de S.Paulo

31 de julho de 2010 | 00h00

THE SWELL SEASON

STRICT JOY

Slap/Som Livre

Preço: R$ 24,90

Um passo além do básico de "Once"

Lauro Lisboa Garcia

A dupla The Swell Season ganhou projeção mundial depois de ter a canção Falling Slowly, do filme Once, premiada com o Oscar em 2008. O violonista escocês Glen Hansard e a pianista tcheca Markéta Irglová agora lançam o álbum Strict Joy, um pouco mais aprimorado que a trilha sonora do filme. A música de Eddie Vedder (injustamente não indicado) para Into the Wild era muito superior ao do mediano material da dupla.

Em sua discreta participação na festa do Oscar, ficou a impressão de que o duo não passaria para a etapa seguinte do jogo do mercado, já que seu folk melancólico soa derivativo demais de Cat Stevens, Van Morrison e outros, com vontade de conquistar o fã-clube de Jack Johnson e Damien Rice. Hansard, com sua guitarra acústica, parece mais um genérico destes dois nos vocais e nas composições. Presença incidental, Markéta (que assina apenas uma canção sozinha e outra em parceria com Hansard) tem a voz mais bonita e afinada, apesar de predominar a dele na maior parte do tempo.

Românticos, eles cantam em perfeita harmonia canções como Two Tongues e In These Arms ("talvez eu tenha nascido para segurar você nesses braços"), uma das mais bonitas do álbum, mas fica aquela impressão de que você já ouviu isso antes. Começa Paper Cup, também entre as mais belas, e a dúvida ressalta: mas não é mesmo Cat Stevens?

Aos primeiros acordes de High Horses a memória viaja para reverberar em algo do velho R.E.M. ou do 10,000 Maniacs, algo assim. Difícil encontrar originalidade no folk (e não só nesse gênero) atual, mas apesar dessas evidências, da identidade embaçada, o conjunto de arranjos sutis (com predominância de cordas), melodias serenas, boas letras e vozes intimistas da dupla soa bem. A produção é do americano Peter Katis (The National, Interpol), que trabalhou recentemente com outras bandas escocesas.

Três canções da trilha de Once - Falling Slowly, When Your Mind"s Made Up e Lies - entraram como faixas bônus nessa edição brasileira, do selo Slap da Som Livre. São todas de seu primeiro álbum, The Swell Season, de 2006. As duas primeiras também foram gravadas no álbum The Cost de The Frames, a outra banda de Hansard. Isso é que é vontade de reciclar (ou martelar uma ideia pela carência de mais material?). Persistindo, atacando em todas as frentes, enfim a coisa engrenou. Bem provavelmente pela repercussão do filme - que tinha ambos como protagonistas (mais isso) - é que eles estão em extensa turnê pelos Estados Unidos e vêm fazer shows em agosto em São Paulo (no dia 27) e no Rio (28).

OUÇA TAMBÉM

SUGAR AND SPICE

Artista: Basia Bulat. Álbum: Heart of My Own. Gravadora: Rough Trade. Preço: a partir de US$ 9,98 (www.amazon.com)

MPB

ROBERTA SÁ & TRIO MADEIRA BRASIL

QUANDO O CANTO É REZA

MP,B/Universal

Preço: R$ 24,90

Roberta Sá e a baianidade de Roque Ferreira

O esperado tributo de Roberta Sá ao compositor baiano Roque Ferreira, Quando o Canto É Reza, produzido por Pedro Luis, concentra elementos preciosos. As composições (sambas e inéditas na maioria) são vigorosas, os arranjos e atuações em parceria do Trio Madeira Brasil são arrebatadores e a voz da cantora sobe alguns degraus na escala de beleza, projeção e qualidade. Em função das características da música de Ferreira, ela está cantando mais forte e pra fora. Como boa nordestina (do Rio Grande do Norte), Roberta mergulha convicta no universo de referências da afro-baianidade, querendo "ser preta também", como canta em Orixá de Frente. Ao mesmo tempo em que a produção valoriza sua voz, ela enfatiza as letras fortes de significado de Ferreira (como "Quem de tempo será tem de ser/ Tempo me temperou com dendê", de Zambiapungo) e abre espaço generoso para Marcelo Gonçalves (violão de 7 cordas e direção musical), Zé Paulo Becker (violão e viola caipira) e Ronaldo do Bandolim brilharem. Homenageada por tabela, Maria Bethânia tem sua parcela de influência nessa reza. / L.L.G.

OUÇA TAMBÉM

PRECE DE PESCADOR

Artista: Mariene de Castro. Álbum: Abre Caminho. Gravadora: Eldorado. Preço: R$ 22 (www.popsdiscos.com.br)

BRITPOP

OASIS

TIME FLIES... 1994-2009 Som Livre/Sony

Preço: RS 27,90

(CD duplo)

Oasis faz a contagem de seu (bom) tempo

E assim se passaram 15 anos. Entre tapas e beijos dos irmãos Noel e Liam Gallagher, uma mágoa ou outra no fim da banda, adiado diversas vezes antes do corte definitivo (até um previsível revival no futuro para arrebanhar os fãs saudosistas, como tantos outros dinossauros do rock), depois de sete álbuns de estúdio e um ao vivo, o Oasis faz a contagem de seu tempo voador. Foram bons tempos, não sem polêmica, claro. Da disputa velada com o Blur pelo reinado do britpop na década de 1990 à pretensão de se tornarem os novos Beatles (ou melhor do que eles), ficou um punhado de bons singles, reunidos na compilação Time Flies... 1994-2009 em CD duplo, com faixas de todos os álbuns da banda. Supersonic, Wonderwall, Cigarettes & Alcohol, Songbird, Don"t Look Back in Anger, Stand by Me, The Importance of Being Idle, Lyla e vários outros number ones estão lá, gloriosos, além de uma faixa "escondida". Lá fora o álbum também teve uma edição limitada em box, com um CD a mais e um DVD. / L.L.G.

OUÇA TAMBÉM

COMMON PEOPLE e I SPY

Banda: Pulp. Álbum: Different Class, de 1996. Gravadora: Island. Preço: R$ 54,90 (www.londoncalling.com.br)

SOUL

GIL SCOTT-HERON

I"M NEW HERE

XL

Preço: R$ 60

Um mestre de ritmos e palavras volta à cena

O profeta do soul Gil Scott-Heron, cuja mescla de funk com spoken word feita no início dos anos 70 foi uma das sementes do hip hop, passou boa parte da última década na cadeia por posse de drogas. O músico faz, 16 anos após sua última gravação, um belo retorno em I"m New Here, um disco escuro e minimalista que se distancia da linhagem político-dançante que caracteriza The Revolution Will Not Be Televised e outros marcos, mas não abre mão de suas raízes. Em Me and the Devil, versão do clássico de Robert Johnson, o poeta dialoga com o diabo, enfrentando a escuridão de sua alma com um vocal surrado, cheio de feeling. Em New York Is Killing Me, retrata a dureza das ruas da cidade com uma percussão eletro que lembra hip hop antigo. O spoken word dá peso ao disco. Entre canções, arrebata o ouvinte com fragmentos de poesia autorreflexiva que surgem e desaparecem no espectro sonoro como personagens de um sonho. / ROBERTO NASCIMENTO

OUÇA TAMBÉM

DOUBLE DUTCH BUS

Artistas: Frankie Smith. Álbum: Double Dutch Bus. Gravadora: Unidisc.

Preço: US$ 22 (amazon.com)

ELETRÔNICA

DAVID BYRNE E FATBOY SLIM

HERE LIES LOVE

Nonesuch

Preço: R$ 96 (disco duplo)

Byrne e Slim para trocar de estação

É necessário ouvir meia hora de Here Lies Love para chegar à conclusão de que não, o brilhante David Byrne não está de brincadeira. Em parceria com Fatboy Slim, fez um disco de dance pop cujo lampejo criativo se equipara ao de uma sofrível produção para FM. A ideia até que era boa: faixas sobre a vida de Imelda Marcos - famosa primeira-dama filipina - com a participação de gogós renomados como os de Florence Welch, Roísín Murphy e Sharon Jones. Mas o que sucede são insossas canções de pista que trancafiam o ouvinte em um universo feminino açucarado, cor de rosa e claustrofóbico. / R.N.

OUÇA TAMBÉM

THE JEZEBEL SPIRIT

Artistas: David Byrne e Brian Eno.

Álbum: My Life in the Bush of Ghosts. Gravadora: Warner. Preço: R$ 74

LATINO

JUAN LUIS GUERRA

A SON DE GUERRA

EMI

Preço: R$ 24,90

Boa hora para abrir as portas a Juan Luis Guerra

O dominicano Juan Luis Guerra é mais um desses fenômenos que colocam toda a América Latina para bailar, menos o Brasil. O motivo? O tabu do idioma. Uma pena. Guerra é produto de uma corrente caribenha que moderniza suas tradições sem desfigurá-las. Assim, faz bachatas, guarachas e calipsos (o original, da América Central) com guitarra e pontas de rock de forma primorosa. A Son de Guerra traz onze músicas que servem tanto em pistas quando no som do carro. Vá direto à segunda faixa, La Guagua, e aumente o volume. / JULIO MARIA

OUÇA TAMBÉM

AMORES PLATÓNICOS

Artista: Julieta Venegas.

Álbum: Otra Cosa. Gravadora: Sony. Preço: R$ 24,90

VELHA GUARDA

NELSON GONÇALVES

A VOLTA DO BOÊMIO

Som Livre

Preço: R$ 24,90

Boêmio bom à boemia sempre torna

Em se tratando de Nelson Gonçalves, até as compilações soam clássicas. Esta A Volta do Boêmio vem respeitosa e cheia de vigor. São na verdade dois CDs duplos, com performances-solo e parcerias. Ao todo ficam 56 músicas gravadas por um dos maiores vendedores de discos da história fonográfica nacional. Sua marca de 65 milhões de cópias só perde para Roberto Carlos. No volume 1, Maria Bethânia, com participação de Caetano Veloso, e Valsinha, com Chico Buarque, marca a seção convidados do CD1. Já o 2 vem com as de sempre A Volta do Boêmio, Naquela Mesa, Cadeira Vazia. Nunca é demais. / J.M.

OUÇA TAMBÉM

GENTE HUMILDE

Artista: Altemar Dutra. Álbum: A Volta do Seresteiro. Gravadora: Som Livre

Preço: R$ 24,90

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.