Cristina Ortiz toca e fala com o público: é 'música na Cabeça'

A pianista Cristina Ortiz, destaque das apresentações desta semana nos concertos da Sinfônica do Estado de São Paulo, é a primeira convidada da série Encontros, que integra o projeto Música na Cabeça, parceria da Osesp com o Estadão. Ela vai conversar hoje à noite com o público a partir das 19 horas, antes de subir ao palco da Sala São Paulo para interpretar o Concerto n.º 2 de Wilhelm Stenhammar.

João Luiz Sampaio, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2010 | 00h00

Ortiz é uma das mais destacadas artistas brasileiras em atividade no exterior. Lançou recentemente dois discos preciosos, elogiados pela crítica europeia, dedicados a peças camerísticas de Fauré e César Franck, na companhia do Fine Arts Quartet.

A série Música na Cabeça é composta por palestras e encontros; nas primeiras, especialistas discutem com a plateia algum compositor ou peça relevante na temporada da Osesp e na vida musical brasileira e internacional. "Já os encontros têm um perfil menos formal, o objetivo é dar ao público a chance de ter contato e de conversar com os artistas que visitarão a Sala este ano", explica o diretor artístico da Osesp, Artur Nestrovski. "Esses projetos nasceram do desejo de ampliar ao máximo o papel da Sala São Paulo como centro de excelência não apenas de interpretação musical, mas também de produção de reflexão relevante sobre a música", continua ele.

Ao todo, serão sete eventos. Em março, o filósofo Jorge de Almeida abriu a série de palestras discutindo a obra do compositor austríaco Gustav Mahler - os próximos serão o compositor e intérprete José Miguel Wisnik, que fala sobre Chopin no dia 12 de maio; e o filósofo Vladimir Safatle, cujo tema, no dia 25 de agosto, será a obra de Debussy. Depois de Cristina Ortiz, a série de encontros continua com o compositor norte-americano Osvaldo Golijov (1.º de outubro) e o maestro francês Yan Pascal Tortelier, regente-titular da Osesp (28 de outubro). Está previsto também um debate, ainda sem data definida, que terá como tema a relação entre música e tecnologia. Interessados em participar devem se inscrever no site da orquestra, www.osesp.art.br.

Concertos. Em entrevista recente ao Estado, Cristina Ortiz conta que, quando foi convidada pela Osesp e pelo jornal, propôs o terceiro concerto de Rachmaninov e o segundo concerto de Brahms como sugestões de repertório. "Mas queriam opções diferentes e acabei sugerindo a peça de Stenhammar, um belo concerto, que até já gravei para o selo BIS." Nascido em Estocolmo, Stenhammar viveu na passagem do século 19 para o 20 e sua formação se deu toda em Berlim - entre as grandes influências de sua obra estão autores como Richard Wagner e Anton Bruckner.

A regência será do maestro russo Alexander Vedernikov, ex-diretor musical do importante Bolshoi de Moscou. Além do concerto de Stenhammar, ele comanda a Osesp na interpretação das Danças Polovtsianas, da ópera Prince Igor, de Borodin, e da Sinfonia n.º 3 de Tchaikovsky.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.