Crianças se chocam mais com cenas da realidade

Fred Krugger perdeu o posto de bicho-papão das criancinhas. Elas se sentem mais ameaçadas por cenas reais de violência exibidas na TV e no cinema, como os atentados de 11 de setembro. Quanto maior a proximidade, maior também é o medo. Essas são conclusões apresentadas pelo estudo Como Crianças Interpretam Cenas de Violência, publicado nesta segunda-feira pela British Board of Film Classification (BBFC), BBC, Broadcasting Standards Commission (BSC) e Independent Television Commission (ITC).Os pesquisadores entrevistaram crianças de 9 a 13 anos, faixa em que se torna mais difícil para os pais controlar a programação assistida, para descobrir como elas enxergam as cenas de violência.De acordo com o estudo, as crianças sabem distinguir quando uma cena é ficção ou realidade. E a realidade é sempre mais perturbadora. A agressão ser injusta também faz com que a cena seja percebida como mais violenta.Quanto mais próxima do cotidiano da criança, mais frágeis elas se sentem. Assim, são mais chocantes cenas que envolvem outras crianças ou que se passam em cidades ou bairros vizinhos.A reação das crianças às imagens violentas reflete uma visão egocêntrica do mundo, concluiu o estudo. Isso porque elas reagem mais fortemente às cenas em que se sentem incapazes de controlar os eventos ou em que os adultos não têm condições de protegê-las.O terror do cinema, com sangue e estripadores, pode até ser visto como divertido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.