AP
AP

Criador de 'The Wire' lamenta prisão da atriz detida por tráfico de drogas

David Simon assegurou que Felicia tinha 'uma das vidas mais duras que se possa imaginar'

EFE

11 de março de 2011 | 16h43

O criador da série The Wire, da HBO, David Simon, lamentou a detenção na quinta-feira de uma das protagonistas da série, Felicia "Snoop" Pearson por tráfico de heroína. "Os Estados Unidos de Pearson é muito diferente do meu. Não sou capacitado a julgá-la", apontou.

Simon, que previamente trabalhou como jornalista para o jornal The Baltimore Sun, assegurou que Felicia tinha tido "uma das vidas mais duras que se possa imaginar".

"Trabalhou duramente e como uma profissional, mas infelizmente a indústria do entretenimento não oferece grandes papéis para aqueles que retratam essa outra América", explicou em comunicado.

"Em bairros como o de Pearson, o mercado da droga é a única indústria que segue dando emprego ao povo, e os jovens só são treinados para traficar nas esquinas", acrescentou.

Em um caso que no qual se misturam realidade e ficção, Felicia, de infância problemática, foi detida junto a outras 50 pessoas dentro da operação contra o tráfico de maconha e heroína em Baltimore.

Felicia, de 30 anos, alcançou a fama graças ao personagem Snoop, uma dura assassina que atua nos bairros dominados por grupos de narcotraficantes de sua cidade natal Baltimore.

Filha de uma mãe viciada em crack, passou vários anos na penitenciária de Jessup.

Felicia foi descoberta em 2004 em um bar noturno de Baltimore por outro dos atores protagonistas da série, e participou de The Wire até o fim de 2008.

The Wire, produzida pela HBO, recebeu diversos prêmios de televisão por sua recriação do mundo do tráfico de drogas em Baltimore e suas conexões com a política da cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.