Cozinha da região anima a festa gastronômica de Paraty

Cachoeiras, trilhas ecológicas, praias, ilhas e um charmoso centro histórico fazem de Paraty um lugar imperdível no roteiro turístico brasileiro. Além das belezas naturais, a pequena cidade, com 35 mil habitantes, oferece ainda boa comida e hospedagem. Em meio às casas de construções antigas e ruas com calçamentos ?pé de moleque? estão inúmeras pousadas, restaurantes, bares e cafés, que integraram a IV Folia Gastronômica de Paraty, realizada na semana passada, entre os dias 16 e 19, com aulas, degustações e comidas especiais. Com o tema Sabores da Terra, a folia enalteceu os produtos típicos da região em pratos feitos por cozinheiros paratienses e 14 chefs convidados, como Bella Masano e Alain Uzan, de São Paulo, André Saburó, de Pernambuco, Ivo Faria, de Minas Gerais, e Conceição Neroni, do Rio. ?Ingredientes caiçaras como mariscos, camarão, ostras, peixes, aipim, batata-doce, banana, cachaça e melaço foram transformados em pratos deliciosos nas mãos dos cozinheiros?, conta Ana Bueno, chef do Banana da Terra e organizadora do evento. Cursos de cozinheiro, confeiteiro, barman e garçom Além desse intercâmbio culinário entre comunidade e convidados, a folia teve como objetivo promover a qualificação profissional dos paratienses. Durante dois meses, 128 pessoas participaram de cursos de cozinheiro, confeiteiro, barman e garçom. Também foi feito um trabalho com artesãos locais para que desenvolvessem peças utilitárias de cozinha. Todo o material, assim como camisetas, sacolas e móveis ganharam uma exposição na Casa da Folia. O evento integrou ainda outros movimentos da terra: a Festa de São Benedito, padroeiro dos cozinheiros, e o Encontro da Cultura Negra. Seguindo a tradição, os chefs Alan Villa Espejo e Roberto Ravioli cozinharam em um grande panelão, em frente à Igreja de São Benedito, no sábado à noite. Mais de cem quilos de camarões flambados com cachaça foram servidos aos devotos, com arroz e farofa de banana. Entre as boas pedidas de Paraty estão, por exemplo, o charmoso Café Pingado, que serve quitutes típicos como brevidade (bolinho de araruta), paçoca de banana com bacon, manuê de bacia (bolo de melado) e o próprio café pingado, que leva cachaça. Paraty, aliás, é conhecida por seus alambiques e cachaçarias, entre elas, a Paratiana. Bar do Lucio, Banana da Terra, Sabor do Mar... Outra parada obrigatória é o Bar do Lucio, do artista plástico Lucio Cruzz. Mesas ao ar livre e paredes cobertas com arte dão o clima do lugar, que serve receitinhas caprichadas por um preço acessível, como o lambe-lambe, um risoto de sururu e mexilhões (R$ 17), e a torta de carne-seca com banana frita (R$ 12). Também vale muito uma visita ao Banana da Terra, de Ana Bueno, que prima por ingredientes de primeira e pratos mais elaborados, e ao Villa Verde, do chef suíço-italiano Dario Rossera. O lugar é lindo, em meio ao verde e ao lado de uma cachoeira. O único problema é que, para chegar ao paraíso, é preciso atravessar uma longa ponte de madeira. Vale o sacrifício. Peixes frescos na vitrine, ambiente bem decorado e um cardápio de dar água na boca. No Sabor do Mar, a matéria-prima chega diariamente. Peixes e frutos do mar podem ser saboreados ali ou levados para casa já limpos. Entre a clientela exigente da peixaria estão os restaurantes paulistanos Carlota e Emiliano. Paraty também reserva boas surpresas nas ilhas, como o restaurante Kontiki, e nas areias das praias, como o Quiosque Dito Feito, com sua casquinha de siri e o bolinho de aipim, e o Quiosque da Lapa, que serve o camarão casadinho. Depois de tanta folia gastronômica é só deitar na rede e relaxar. DICAS DE RESTAURANTES Banana da Terra. R. Dr. Samuel Costa, 198, (24) 3371-1725 Bar do Lucio. Praça da Matriz, 3, (24) 3371-8261 Café Pingado. R. Dr. Samuel Costa, 11, (24) 3371-8333 Kontiki. Ilha Duas Irmãs, (24) 3371-1666 Sabor do Mar. R. Domingos Gonçalves de Abreu, s/nº, (24) 3371-1872 Villa Verde. Estrada Paraty - Cunha, Km 7, (24) 3371-7808 A programação completa, com todos os restaurantes que participaram da IV Folia Gastronômica de Paraty, está no site: www.foliagastronomica.com.br DICAS DE HOSPEDAGEM Parque Hotel Perequê. Av. Otávio Gama, 70, (24) 3371-2312 Hotel Santa Clara. Rod. Rio-Santos, Km 567,7, (24) 3371-8900 RECEITAS Lambe-lambe Ingredientes 1 kg de sururu ou mexilhão com casca 400 g de sururu ou mexilhão sem casca 4 copos de arroz 2 cebolas médias 4 tomates ½ pimentão 4 dentes de alho 1 molho de cheiro verde e coentro 4 pimentas de cheiro ¾ copo de vinho branco ½ copo de azeite Preparo Coloque numa panela azeite, acrescente o alho socado com as cebolas bem picadinhas. Deixe dourar. Junte os tomates, o pimentão, o coentro e salsinha deixe cozinhar por uns cinco minutos. Acrescente os mexilhões, deixe refogar até que os mexilhões se abram para que o molho penetre. Depois acrescente o arroz, a água um pouco mais para o arroz ficar bem molhadinho. Acrescente o vinho branco e o cheiro verde. Rendimento: 4 porções * Essa receita tradicional de Paraty chama-se lambe-lambe porque se come com as conchas dos mariscos. Em Paraty, é usado o marisco sururu que dá no mangue, mas também pode ser feito com mexilhão. Manuê de bacia (bolo de melaço) Ingredientes 1 litro de melado 100 g de margarina 1 ovo 600 g de trigo 1 colher (sopa) de fermento em pó Preparo Bata na batedeira o melado, a margarina e o ovo. Acrescente aos poucos a farinha de trigo e por último o fermento. Coloque a massa em fôrma untada e polvilhada com trigo (ou açúcar). Asse em fogo médio (180° C). Rendimento: 20 porções A repórter viajou a convite da organização do evento.

Agencia Estado,

22 Novembro 2006 | 19h44

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.