CORREÇÃO-George Clooney vai ao Chade em missão da ONU

O ator George Clooney viajou na terça-feira para o Chade como "mensageiro da paz" da ONU, depois de passar dois dias na conturbada região sudanesa de Darfur, segundo fontes da entidade internacional. Clooney havia sido nomeado pelo secretário-geral Ban Ki-Moon para promover a missão de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) na região. As polêmicas opiniões do ator sobre o conflito, que ele qualificou de genocídio, levaram a ONU a tratar sua visita com discrição. Pedidos de entrevista sobre o tema foram rejeitados, e a mídia não foi autorizada a fazer imagens do astro. Algumas fontes da ONU chegaram a informar que Clooney, indicado ao Oscar de melhor ator neste ano por seu papel no "thriller" jurídico "Michael Clayton", havia decidido não ir ao Chade. Uma fonte da ONU em N'Djamena, porém, confirmou a chegada dele. Clooney havia estado em 2006 no Chade e no Sudão. Há no Chade cerca de 240 mil refugiados de Darfur, vítimas do conflito que opõe rebeldes não-árabes a milícias árabes supostamente financiadas pelo governo e acusadas de atrocidades. Washington qualificou em 2004 o conflito como genocídio, termo que Cartum rejeita e que governos europeus relutam em usar. Especialistas internacionais estimam que 200 mil pessoas tenham morrido e 2,5 milhões tenham fugido de suas casas devido à violência. O Sudão diz que 9.000 morreram. (Reportagem de Opheera McDoom)

(CORRIGE TEXTO ANTERIOR, QUE ESTAVA INCORRETO, SOBRE MAL-ESTAR DE GEORGE CLOONEY), REUTERS

22 Janeiro 2008 | 17h50

Mais conteúdo sobre:
GENTE CLOONEY CANCELAAFRICA

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.