Gene Blythe/AP
Gene Blythe/AP

Corpo do artista Thomas Kinkade passa por necropsia

Pintor era o artista vivo mais colecionado nos Estados Unidos com obras em 20 milhões de casas

Com informações da Reuters,

09 de abril de 2012 | 13h13

Três dias após a inesperada morte do famoso pintor americano Thomas Kinkade, uma necropsia será realizada hoje em seu corpo.

Kinkade, cujos quadros com cenas rústicas e luminescentes encantaram milhões de pessoas, morreu sozinho em sua casa na Califórnia.

De acordo com a família, a causa da morte foi natural. Autoridades não deram mais detalhes sobre o caso.

Kinkade, que tinha 54 anos, era considerado o artista vivo mais colecionado nos Estados Unidos, com pinturas em 20 milhões de casas americanas.

Por ser cristão, costumava retratar passagens da Bíblia em suas obras. No entanto, um lado mais obscuro do pintor apareceu em reportagens do Los Angeles Times e do San Jose Mercury News neste fim semana.

Os jornais publicaram problemas do artista com álcool, incluindo uma prisão em 2010, e acusações de fraude por dois proprietários de galerias que custaram 860 mil dólares em danos para a empresa de Kinkade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.