Paulo Vitor/AE
Paulo Vitor/AE

Corpo de Lily Marinho é enterrado no Rio

Viúva de Roberto Marinho morreu aos 89 anos em consequência de uma infecção respiratória

Estadão.com.br

06 de janeiro de 2011 | 12h51

O corpo de Lily Marinho, viúva do jornalista Roberto Marinho, foi enterrado nesta quinta-feira, 6, pouco depois do meio-dia, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, Zona Sul do Rio de Janeiro.

Antes da saída do cortejo, familiares e amigos participaram de uma missa na capela onde foi o velório. O diretor da Central Globo de Pesquisa e Recursos Humanos, Érico Magalhães, representou a TV Globo.

Dona Lily morreu na noite desta quarta-feira, de falência múltipla dos órgãos. Ela estava internada há 22 dias em um clínica na zona sul do Rio, com uma infecção respiratória.

Nascida em Colônia, na Alemanha, Dona Lily estava com 89 anos, e foi viúva por duas vezes. Primeiro, do jornalista e fazendeiro Horácio Gomes Leite de Carvalho Filho, com quem foi casada por 45 anos. Em 2003, após 15 anos de união, faleceu seu segundo marido, o empresário e fundador da Rede Globo de Televisão, Roberto Marinho.

A presidente Dilma Rousseff divulgou nota de pesar no site oficial da presidência da República. "Em julho passado, ela me deixou comovida ao oferecer almoço em minha homenagem em sua casa", menciona a nota. No texto, Dilma lembrou ainda da atuação de Lily nos projetos sociais em prol "dos mais necessitados". Dona Lily era embaixadora da Boa Vontade da Unesco, órgão da ONU para educação e cultura.

O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PMDB), esteve no velório de Dona Lily. "Acho que ela é a cara do Rio. Filha de inglês e francês, nasceu na Alemanha, casou-se com um grande carioca e adotou a cidade maravilhosa. Era uma grande carioca. O Rio e o Brasil perderam uma grande dama", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.