Cordovani encarna em SP o mito de Greta Garbo

O que diferencia Roberto Cordovani de outros atores é sua predileção por interpretar papéis femininos. Sua impressionante semelhança com a atriz Greta Garbo, que pode ser conferida no TBC a partir de hoje no espetáculo Olhares de Perfil - O Mito de Greta Garbo, já lhe rendeu prêmios pelo mundo afora e chamou a atenção até do sobrinho da atriz, Peter Gustafsson. A peça de Cordovani não é biográfica, nem um tributo à atriz sueca. O que ele usa é o mito de Garbo, atriz que se tornou famosa por sua imagem enigmática, para falar sobre a ambigüidade.Não apenas a sua ambigüidade sexual - a mulher mais desejada do mundo à sua época, nos anos 30, era homossexual -, mas o jogo duplo nas relações, na hora que ela interagia com os outros e até com ela mesma. "Eu quis falar sobre a ambigüidade nas relações, o jogo barato da sedução, que não leva a nada ou então leva a outras histórias que não têm nada a ver", diz Cordovani.Greta Garbo não podia ser personagem mais adequada para se falar sobre o homossexualismo. Ela era homossexual, mas Hollywood a apresentava como uma mulher fatal. Politicamente, tinha ideais revolucionários de esquerda, mas trabalhava para a máquina capitalista do cinema norte-americano. Até hoje se especula por que ela abandonou as telas e a vida pública em 1941, vivendo de maneira reclusa até 1990, quando morreu, em Nova York.A peça se passa no fim da década de 30, quando a atriz começa a se afastar das rodas sociais. Na trama de Cordovani há um performer, Gustafsson, nome verdadeiro da atriz, que se apresenta em night clubs imitando Garbo, até que começam a desconfiar que ele seja na verdade a própria Garbo. Além desta ambigüidade, há o jogo duplo dos personagens que contracenam com Gustafsson, divididos entre proteger e expor o paradeiro do enigma.A peça já foi apresentada para o público paulistano em 1989 e, depois de rodar o mundo, volta para cá. "Na verdade ela nunca sai de cartaz porque sempre que sou convidado para festivais me pedem para apresentá-la", conta Cordovani.Somente na Inglaterra, segundo ele, foram 250 apresentações de Garbo, premiada dez vezes no exterior. A atriz sueca, que ainda era viva quando Cordovani entrou em turnê com a peça pela Europa, nunca a assistiu. Mas seu sobrinho, Peter Gustafsson, sim. Mesmo sendo falada em português, Gustafsson disse ter encontrado na peça "o tom da ironia igual ao de Garbo", conta Cordovani, que nunca teve contato com a atriz, a não ser pelo cinema. Mas ele afirma que construiu a personagem usando desde sua intuição até a astrologia. Mulheres destemidas - "Ela era toda virginiana, com ascendente e Lua em Virgem, então imaginei que ela devia ser perfeccionista, obsessiva, quase uma chata", diz. Além de Garbo, Cordovani também já interpretou Evita Perón, Anne Sullivan (a professora de Helen Keller), Isadora Duncan, a Lola de Fassbinder e a Fraulein de Amar, Verbo Intransitivo.Cordovani explica sua obsessão em interpretar mulheres. "Minhas mulheres são muito especiais, não são fêmeas quaisquer, não são peruas. São atípicas, destemidas, solitárias", diz Cordovani, que também está em cartaz com outra peça, no mesmo TBC, em que interpreta uma mulher comum, azeda, amargurada, o antimito, "cheia de varizes". Trata-se da Beatriz de O Efeito dos Raios Gama nas Margaridas do Campo, um texto do norte-americano Paul Zindel, premiado com o Pulitzer em 1974. A montagem de Cordovani é voltada para o público juvenil e está aberta para recepcionar escolas. Infeliz e malvada, Beatriz é a mãe de duas adolescentes e boicota, rejeita e sufoca as filhas. Chega a matar o coelho de estimação de uma das meninas para lhe provocar um ataque epilético.Acostumado a interpretar mulheres-divas, Cordovani adorou fazer o oposto. "Eu sempre quis fazer uma megera, mas tinha que ser uma megera mulher, porque ela tem muito mais teatralidade do que a loucura de um homem", brinca. Desde 1985 Cordovani mora na Europa. Isso mesmo, na Europa, no sentido abrangente, e não em "um" país da Europa. É que Cordovani já morou em Madri, Barcelona, Londres, La Coruña, Lisboa e Berlim.Hoje mora em Santiago de Compostela - "Não sou místico nem creio em pedra, nada disso" -, em uma casa de madeira pré-fabricada que encomendou em Curitiba. Insólito e surpreendente, assim como as personagens que interpreta.Olhares de Perfil - O Mito de Greta Garbo. De hoje a 30/09. Sábados às 21h30, e domingos às 20 h. R$ 20,00. ´O Efeito dos Raios Gama nas Margaridas do Campo´. Até 30/09. 5.ª e 6.ª, às 21h30, sáb. às 19 h e dom. às 18 h. R$ 20,00. Os dois espetáculos estão em cartaz no TBC Sala Arte (R. Major Diogo, 315, tel.: 3115-4622). Ingressos por telefone: 3191-0011 e 0800 771-2391. Aceita todos os cartões de crédito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.