CORAÇÃO EXPLODE

Série Jogos da Paixão mostra mulher dividida entre pai e filho

JOÃO FERNANDO, O Estado de S.Paulo

17 Fevereiro 2013 | 02h07

Pais mais tradicionais costumam ficar de olho nos homens com quem as filhas andam e têm ciúme dos namoros das herdeiras. Vitor (Camilo Bevilacqua), um dos personagens de Jogos da Paixão, nova série escrita e dirigida por Domingos de Oliveira, que estreia no Canal Brasil na quinta-feira, às 23h30, vai na contramão. Na trama, ele, já morto, volta do além para incentivar a filha, Inês (Vanessa Gerbelli), a deixar a vida de solteira e se entregar ao amor como se não houvesse amanhã.

"Foi assim que agi com a minha filha", explica o dramaturgo, cujas obras costumam girar em torno de problemas e relacionamentos ou dramas femininos. Na atração, baseada na peça teatral Turbilhão, Inês é uma psicanalista que, após a morte do pai, abdica da vida amorosa. Porém, depois das visitas do fantasma dele, sai em busca de uma boca para beijar. "Ela ganha a feminilidade de volta, pois antes estava assexuada, com o cabelo preso e com roupa masculina. Ela fica mais sensual", descreve Vanessa Gerbelli.

Ao recuperar o tempo perdido, a protagonista se envolve com dois homens, que conhece em situações diferentes, sem saber que eles são pai e filho, vividos respectivamente por Aderbal Freire-Filho e Pedro Furtado. Ambos tampouco desconfiam de que estão saindo com a mesma mulher. Para o autor, a situação não é um tabu. "Não seria para você?", rebate. Em meio ao aumento de programas de TV politicamente corretos, Domingos de Oliveira não se vê contra a corrente ao mostrar a situação na série. "Não creio que meu trabalho tenha esse tipo de importância", sentencia.

Para a atriz, viver duas paixões simultaneamente não é tão inusitado. "Eu nunca estive nessa situação e espero nunca ficar. Mas acho perfeitamente possível. Até por mais de dois ao mesmo tempo. Difícil é administrar", diverte-se. Enquanto Inês tenta entender a nova fase da vida, ela também tem de lidar com seus pacientes, em quem presta cada vez menos atenção, pois passa o tempo refletindo sobre como se dividirá entre seus dois amores, com quem se encontra em dias da semana alternados.

Os frequentadores mais assíduos do consultório são Otávio (José Roberto Oliveira), um obcecado por trabalho, que cancela as próprias folgas para ir ao escritório onde dá expediente e tenta se forçar a tirar férias, e Tavares (Fernando Gomes), um homem inseguro, vítima de suborno no ambiente profissional.

"Ela se desequilibra, é uma psicanalista que perde o chão" analisa Vanessa, que começou a observar mais o próprio terapeuta em suas sessões antes de começar a gravar a série. Porém, depois de viver o auge de suas aventuras amorosas, Inês descobre que a ligação entre os dois namorados e fica perturbada. "Ela volta para a situação de blindagem ao romance", adianta a atriz, que esta semana estreará em São Paulo a versão brasileira do musical Quase Normal, em que interpreta Diana, uma mulher bipolar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.