FESTIVAL CULTURA INGLESA
FESTIVAL CULTURA INGLESA
Imagem João Wady Cury
Colunista
João Wady Cury
Palco, plateia e coxia
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Cora Bissett estreia em maio

A vida de uma adolescente em uma banda de rock, viajando com grupos dos anos 1990 como Blur e Radiohead, é o tema da peça da dramaturga e atriz escocesa Cora Bissett.

João Wady Cury, O Estado de S.Paulo

11 de abril de 2019 | 03h00

A vida de uma adolescente em uma banda de rock, viajando com grupos dos anos 1990 como Blur e Radiohead, é o tema da peça da dramaturga e atriz escocesa Cora Bissett. A montagem chega a São Paulo para apresentações de 24 a 26 de maio com o elenco original. What Girls Are Made Of traz no elenco a própria Cora Bissett e tem direção de Orla O’Loughlin. A peça participa do Festival Cultura Inglesa e é inspirada na vida da própria dramaturga. 

BATISMO DE FOGO 

A peça tem uma pegada indiepop com o melhor que uma adolescente pode fazer quando tem a vida ligada à música, logo após ter formado uma banda e sair da escola. A própria Cora conta que o texto da peça nasceu quando encontrou seus queridos diários da época. É o trabalho mais recente da atriz e dramaturga e foi sucesso na última edição do Edinburgh Fringe Festival do ano passado. 

 

OPRIMIDO EM LOS ANGELES Começa hoje e vai até 28 de abril o Circuito Teatro do Oprimido em Los Angeles. É uma série de workshops e atividades destinada a 100 jovens detentos de penitenciárias norte-americanas e 400 estudantes da Universidade da Califórnia em Los Angeles (UCLA). O trabalho é do Grupo Cor do Brasil e Coletivo Madalena-Anastácia, composto por nove afrodescendentes, e busca usar o teatro de Augusto Boal para provocar mudança na legislação do país, que permite uma pessoa presa a fazer trabalho escravo. 

 

SOMENTE MAIS DUAS  

A discussão sobre o corpo, a privacidade e a legitimidade das escolhas. É disso que trata Ser, da trupe mineira Toda Deseo, que tem nas próximas segunda, 15, e terça, 16, as duas últimas apresentações no Sesc Consolação. A presença em cena de Rafael Lucas Bacelar, sob direção de Alexandre de Sena, do Grupo Espanca, é o forte da montagem, aliada à dramaturgia de David Maurity, com colaboração de Márcio Abreu.

 

QUEIMA, BABY 

Deixar Arder é uma das montagens brasileiras que os suíços poderão assistir durante o Festival Atos da Fala, que segue até o final do mês e vem para o Rio, com artistas suíços e brasileiros – de 29 de maio a 2 de junho no Centro Coreográfico. Além de Deixa Arder, de Marcela Levi e Lucia Russo, a programação se completa com Gente de Lá, de Wellington Gadelha, e Por Nu, de Victor Oliveira. As três compõem a programação do zürich moves! atrelada ao laboratório On Eating and Being Eaten.

3 Perguntas para Inez Viana

Inez Viana Atriz e diretora, gosta de ler

1. Com qual personagem se parece? 

Caroba, de O Santo e a Porca, de Ariano Suassuna.

2. Peça revelação?

The man who, de Peter Brook.

3. Frase arrebatadora?

“Se uma bomba explode aqui, nossos corpos serão encontrados abraçados em bolsas” em Mata 

Teu Pai, de Grace Passô.

 

 

Mais conteúdo sobre:
Cora Bissettteatro

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.