Coprodução do Brasil vence em Sundance

Uma parceria internacional do cinema brasileiro - o filme chileno Violeta Se Fue en los Cielos, de Andres Wood - venceu anteontem o World Dramatic no Festival de Cinema de Sundance, grande vitrine da produção independente nos EUA. Sundance foi uma criação do ator e diretor Robert Redford e abriga hoje o maior mercado indie do mundo.

O Estado de S.Paulo

30 Janeiro 2012 | 03h06

Denise Gomes, que participou dos documentários O Samba Que Mora em Mim e Tropicália na Bossa Nova Films, é a coprodutora brasileira do longa de Andrés Wood. O autor chileno é conhecido do público do Brasil por Machuca, um belo (e sofrido) relato sobre os anos de chumbo do General Pinochet, por meio do olhar das crianças. Foi justamente o amor por Machuca que levou Denise a procurar Wood, manifestando o desejo de trabalhar com o cineasta de 47 anos.

No Chile, Violeta Se Fue en los Cielos virou um fenômeno - e ganhou os principais prêmios do ano. O filme foi indicado pelo país para concorrer ao Oscar, mas, como o brasileiro Tropa de Elite 2, de José Padilha, não passou pelo comitê de seleção do prêmio (para lograr ser um dos finalistas). A Violeta do título é um ícone do Chile, a cantora e compositora Violeta Parra, autora de Gracias a la Vida e Volver a los 17, cuja tumultuada vida amorosa Wood reconstitui por meio de uma narrativa intensa.

Francisca Gavilán é a excepcional intérprete do papel (e ela canta, ainda por cima). O filme será distribuído no Brasil pela Imovision. Estava programado para maio, mas é bom antecipar. Com o título de Violeta Foi para o Céu, o vitorioso filme de Wood já está à venda, em cópias piratas, no centro de São Paulo./L.C.M.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.