Cooperativa de artesãs inspira mostra

As técnicas desenvolvidas naCoopa-Roca, a Cooperativa de Trabalho Artesanal e de Costura dafavela da Rocinha, no Rio, inspiraram artistas plásticos,estilistas e designers de renome a criar obras a partir docrochê, fuxico, patchwork e nozinho, base da exposiçãoREtalhar 2002, que será aberta neste sábado para o públicono Sesc Belenzinho.Com curadoria da arte-educadora e socióloga Maria Teresa Leal, amostra é um dos eventos mais expressivos da cooperativa que foiformalizada em 1987, uma maneira de divulgar o trabalho dasartesãs e, desse modo, chamar a atenção para novas parcerias."Não temos vínculo com nenhum órgão do governo nem estamosrelacionados a um trabalho assistencialista", diz Maria Teresa,que também é coordenadora da Coopa-Roca.Entre os 23 artistas e designers convidados por ela, estãoAntonio Dias; Carlos Vergara; Ernesto Neto; Rosângela Rennó;Carlos Miele, da M.Officer; Maria Cândida Sarmento, da MariaBonita. Também estão presentes as redes Tok & Stok e Salinas. Hátambém dois criadores alemães, Hermann Hiller e Michael Wesely,participação que sinaliza a ida da REtalhar à Alemanha e aoRio, por meio do Instituto Goethe.A Coopa-Roca tem como sede um prédio de três andares no alto daRocinha, hoje considerada um bairro carioca. Vale dizer que aprimeira edição da exposição foi realizada em 2000, iniciativaque rendeu uma parceria com Carlos Miele. O estilista doou umterreno no meio da Rocinha, onde será construída a sede da NovaGeração Coopa-Roca, dedicada exclusivamente a jovens costureiras,e encomendou produtos da cooperativa para serem usados em suagrife. A primeira REtalhar" também teve como resultado a ampliação do número de artesãs, de 16 para 75, grupo que perduraaté hoje.Agora, segundo Maria Teresa, essa REtalhar que abre sábadojá estabeleceu parcerias com a Salinas - que vai confeccionaruma linha de biquínis em crochê - e com a Tátil Design, que vaiusar patchwork nas caixas de CDs de Gilberto Gil.O evento é realizado pelo Sesc e tem patrocínio do Sebrae. Alémda exposição, ocorrerá uma programação paralela com espetáculosde música, teatro e dança e cursos dirigidos pelo núcleo de modado Senac. Por exemplo, aulas sobre a técnica do patchwork -reaproveitamento de retalhos de tecidos - serão ministradas emduas turmas diferentes, iniciando terça e quarta-feira, a preçosque variam de R$ 5 a R$ 10.Serviço - REtalhar 2002. De terça a sexta, das 14 às 21 horas; sábado,domingo e feriado, das 10 às 17 horas. Grátis. Sesc Belenzinho.Avenida Álvaro Ramos, 991, tel. (11) 6605-8143. Até 29/9. Abre neste sábado, às 10 horas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.