Lee Thalor/Divulgação
Lee Thalor/Divulgação

Cooperativa anuncia prêmio para a dança

Para o presidente da entidade, Sandro Borelli, o troféu pode ajudar a dar mais visibilidade aos artistas dessa área

Helena Katz - Especial para o Estado, O Estado de S. Paulo

10 de dezembro de 2013 | 20h01

Um novo prêmio para a dança. A Cooperativa Paulista de Dança anuncia nesta quarta-feira, 11, em uma festa marcada para às 21h, na Sala Paschoal Carlos Magno do Teatro Sérgio Cardoso, o resultado da sua iniciativa em criar o Prêmio Denilto Gomes.

Sandro Borelli, presidente da Cooperativa desde 2011, conta que a ideia o acompanha desde que se tornou vice-presidente, ainda na gestão que antecedeu a sua: “Pensava ser necessário não somente fortalecer a Cooperativa, que existe para atender, em primeira instância, os seus cooperados, mas também para fazer com que sua atuação atingisse a dança que existe fora dela. Todos nós sabemos que a dança perdeu muito tempo sem se articular e que é recente a compreensão do comprometimento necessário para transformar o que nos incomoda. A criação desse novo prêmio vai nessa direção, a de pensar no sentido do Brasil mesmo”.

Para Sandro, faz muito sentido propor um prêmio: “O artista precisa ter a sua carreira validada e isso se dá pela imprensa, pela crítica, pelo público, mas em termos institucionais, o artista paulista contava somente com o prêmio APCA, o que é muito pouco”.

A escolha de Denilto Gomes (1953-1994), nascido e falecido em Sorocaba, que lá começou a estudar dança com Janice Vieira (em 1972) e com ela fundou do Grupo Proposição, tem o sentido de dar visibilidade para um grande artista que teve carreira curta, mas marcou profundamente os que o conheceram: “Assisti Denilto dançar apenas uma três vezes e nunca mais me esqueci”, comenta Sandro. E tem como objetivo também sinalizar para a necessidade de remover os muros que separam a dança da capital da dança do interior do estado.

“Um dos pedidos que fizemos à Cilô Lacava, Elaine Calux e Mônica Bamman, as três profissionais convidadas para compor a comissão de seleção, foi a de que tivessem um olhar para o interior do Estado, e que, se possível, também incluissem cooperados entre os premiados, pois seria um pouco estranho que um Prêmio da Cooperativa não tivesse nenhum cooperado. Não interferimos em nada, a comissão agiu com plena autonomia, e a única restrição era a de que eu, Sandro, não poderia ser premiado por ser o presidente da Cooperativa”.

Além do Prêmio, a Cooperativa Paulista de Dança comemora também outras conquistas. “2013 foi um ano importante para a dança de São Paulo, pois nele marcamos um pouco a nossa presença. O movimento A Dança se Move nasceu na Cooperativa e hoje tornou-se um espaço fundamental para os avanços que tivemos, como o da aprovação, no dia 04/12, na Câmara Municipal de SP, do Projeto de Lei 236/2012, de autoria do vereador José Américo Dias, que institui a extensão da duração do Programa Municipal de Fomento à Dança no Município de São Paulo para até dois anos. Com essa medida, projetos que necessitam de tempo para sua pesquisa não mais serão fatiados para conseguir sobreviver. Além disso, elegemos um representante para a dança no Conselho da Cidade, criado pelo prefeito Haddad. Tenho dito que nesse ano estamos deixando um legado muito importante para as futuras gerações”.

O primeiro Prêmio Denilto Gomes vai para uma personalidade, Maria Duschenes, hoje com 91 anos, e mais 12 contemplados, nas seguintes categorias: Difusão da Dança: Ninho Sansacroma;Criação Coreográfica: Link, de Alex Soares, para a Ribeirão Preto Cia de Dança; Criação em Dança Solo: Holoch, de Emilie Sugai;Criação em Dança Solo de Rua: Solo de Rua, de Luciana Bortoletto (...Avoa! Núcleo Artístico); Criação em Dança: Justine, da Cia. Maurício de Oliveira e Siameses;Criação em Dança para Espaço Específico: Espaços Invisíveis, da Cia Damas em Trânsito e os Bucaneiros;Domínio de Movimento: Alda Maria Abreu em Androgyne (Taanteatro Cia);Direção Compartilhada: Corpo sobre Tela, da Cia Vidança;Criação em Cenografia: Balões Vermelhos, da Cia Etra de Dança Contemporânea (Santos);Criação Musical: Danilo Tomic, por Danças Passageiras, de Zélia Monteiro;Criação de Luz: Hideki Matsuka e Sergio Pupo, por Propulsão O Que Faz Viver: Seguinte, da key zetta e cia; Trabalho Continuado no interior, Plêiade Cia de Dança – 20 anos (Franca).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.