Conversa filmada por Ford resume toda arte

No vão livre do Masp, prosseguem as exibições de clássicos do mestre John Ford. Há um culto a Rastros de Ódio (The Searchers), de 1956, considerado por muitos admiradores como a obra-prima do Homero de Hollywood. Ford adquiriu essa reputação pelo tema da odisseia, que percorre sua obra. São, quase sempre, epopeias de grupos. Rastros de Ódio é a exceção, pois narra a tragédia de um individualista, Ethan Edwards, interpretado por John Wayne.

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

02 de novembro de 2010 | 00h00

Será interessante comparar Terra Bruta, que passa hoje, com Rastros de Ódio (na semana passada). Ambos tratam do tema da squaw, a mulher branca que viveu entre os índios. Terra Bruta, de 1961, chama-se Two Rode Together, Os Dois Cavalgaram Juntos, no original. Os dois são James Stewart e Richard Widmark. Um conhece os índios como ninguém, o outro comanda um destacamento da Cavalaria.

Buscam brancos que foram sequestrados pelos índios e que agora vivem entre eles, como peles-vermelhas. Um garoto, uma mulher - ela virou a companheira de um chefe que não vai abrir mão de resgatá-la. A volta de Linda Crystal para o convívio dos brancos não se faz sem escândalo. Ela vira motivo de curiosidade - e fofoca - para as puritanas mulheres dos pioneiros.

Como toda obra de John Ford, a odisseia de Terra Bruta liga-se a uma tema dominante na obra do diretor - quanto custa construir uma civilização. O próprio Ford não tinha muito apreço pelo filme. No livro com a entrevista que deu a Peter Bogdanovich, ele conta que não gostava do roteiro, mas aceitou fazer o filme como um favor pessoal a Arthur Cohn, o poderoso executivo-chefe da Columbia, na época.

Há um motivo muito sério para que o cinéfilo (re)veja Terra Bruta. Depois de um dia de cavalgada, o destacamento acampa, para passar a noite. Os personagens de Stewart e Widmark tiram as botas para aliviar os pés. Sentam-se e conversam. Ford sempre cultivou como método uma divisa - "straight shooting". Não era homem de muitas firulas, de movimentar a câmera. Ela fica parada, um longo plano-sequência. O que é o cinema, críticos e historiadores não se cansam de perguntar? É essa conversa, filmada por Ford.

TERRA BRUTA

Vão livre do Masp - Hoje, 19h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.