Werther Santana/AE
Werther Santana/AE

Contrato permite revisão de obra

Eva Furnari vai realizar desejo antigo de atualizar detalhes ultrapassados

Ubiratan Brasil, O Estado de S.Paulo

16 de setembro de 2010 | 00h00

O contrato de exclusividade assinado com a editora Moderna permitiu que escritora Eva Furnari realizasse um desejo antigo: o de revisar a própria obra. "Foi um trabalho minucioso e notei que era preciso trocar alguns detalhes", conta ela, que se divertiu com algumas descobertas. Em O Segredo do Violinista, por exemplo, que volta agora em novo lote, o personagem principal ouvia música em um walkman. "Acredito que as crianças de hoje nem sabem o que é isso."

Como também é ilustradora - começou escrever para crianças em 1980, inicialmente em livros sem texto, contando histórias através das imagens que criava -, Eva também modificou alguns traços. E, além de obras repaginadas, ela lança três novos títulos, que marcam o início da Biblioteca Eva Furnari: Bruxinha Zuzu, Bruxinha Zuzu e Gato Miú e Trudi e Kiki.

Como já acontece com Pedro Bandeira e Ruth Rocha, também editados pela mesma casa, os livros são separados por faixa etária, formando mini-coleções, o que facilita o trabalho na adoção escolar. A revisão da obra, aliás, permitiu que a escritora constatasse as diversas fases por que passou o gosto infanto-juvenil. "É quase o retrato de uma época", afirma. "Há alguns anos, a estética era um mero detalhe, relegado, por exemplo, ao futebol. Hoje, está no centro das atenções, inspirando tanto a moda como a forma de se mobiliar uma casa."

Eva notou também uma diferença no ritmo da leitura, o que leva os clássicos a uma encruzilhada: apesar do comprovado valor artístico e literário, livros de Monteiro Lobato e Erico Verissimo não encantam mais os jovens leitores. "Naquela época, início do século passado, a sociedade era mais patriarcal. Com o passar do tempo, houve um processo de transição para uma situação mais democrática e, portanto, mais propensa a conflitos de opinião."

O mesmo raciocínio foi apresentado por Ruth Rocha, quando sua obra começou a ser reunida pela Salamandra (do grupo da Moderna), no ano passado. Segundo ela, os livros de Lobato hoje são de difícil compreensão para as crianças, que enfrentam problemas de alfabetização. Mesmo assim, Ruth se posiciona contra adaptações, como as realizadas para a televisão.

A questão é mais profunda, no entender de Pedro Bandeira, que aposta na preservação dos clássicos. "Como se pode dizer que um clássico está com seus dias contados? Como seria possível que a existência do Google ou do Twitter desfizesse o fascínio que uma criança pequena, ainda muito ligada a seus pais e cujo maior medo seria ser abandonado por eles, sente ao escutar a história de João e Maria na segurança do colinho da mamãe? Essas histórias não têm "tempo", elas sempre serão atuais", acredita.

PRINCIPAIS LIVROS

Bruxinha Atrapalhada (1982)

Violeta e Roxo (1984)

Quer Brincar? (1986)

Truks (1991)

Cocô de Passarinho (1998)

Umbigo Indiscreto (2000)

Pandolfo Bereba (2000)

Circo da Lua (2004)

Assim Assado (2004)

Cacoete (2006)

Lolo Barnabé (2006)

Números de Eva

60 livros foram publicados por Eva Furnari em 30 anos de carreira, que lhe valeram

7 prêmios Jabuti, além de 8 troféus da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.