Contra o vício

Intervenção, série vencedora do Emmy, ganha versão nacional

GABRIEL PERLINE, O Estado de S.Paulo

29 de julho de 2012 | 03h11

Após um ano de produção e meses acompanhando a rotina de dependentes químicos, o canal a cabo A&E já tem data marcada para estrear a série Intervenção: quarta-feira. O programa é uma versão nacional de Intervention, vencedora do Emmy em 2009 na categoria Reality Show. Vai ao ar todas as quartas, às 23 h.

"Pensamos no projeto para o Brasil há mais ou menos dois anos e meio, quando vimos o sucesso da série nos Estados Unidos. Ao mesmo tempo, tivemos medo, pois a produção é bastante complicada. Quando tomamos a decisão, cinco produtoras recusaram o projeto antes de fecharmos com a Panorâmica. Uma delas nos disse que não teria equipe com estômago para o trabalho", diz Krishna Mahon, produtora executiva do A&E.

O programa acompanhou a rotina de oito dependentes químicos, viciados em diferentes tipos de entorpecentes, com o pretexto de produzir um documentário sobre drogas. Os momentos de lucidez, ataques de fúria, desabafos, idas às bocas de tráfico e até mesmo o instante em que fazem o uso das substâncias foram registrados pelas câmeras. Após dez dias de observação, os personagens sofreram uma intervenção surpresa, acompanhada de familiares, amigos e um médico, Fábio Damasceno ou Marcelo Piquet Pessoa, responsável pela condução de todo o processo clínico. "Alguns toparam participar do programa por conta dos 15 minutos de fama. Vieram com o pensamento 'já que não tenho nada, pelo menos vou aparecer na TV'", conta Damasceno.

Nesta intervenção, a equipe trabalha para convencer o dependente a aceitar o tratamento e se internar em uma clínica no instante seguinte à reunião com o grupo. "Houve conversas que duraram quatro horas, mas todos os personagens aceitaram a internação", afirmou Igor Coelho, diretor do programa.

A dificuldade da produção não se resumiu a convencer os personagens sobre o tratamento. Manter os funcionários na equipe foi um dos piores contratempos. "Na gravação do primeiro episódio três pessoas pediram demissão. As cenas que registramos são muito fortes e os lugares visitados são incomuns para a maioria. No fim, tudo deu certo e todos crescemos muito com as histórias que acompanhamos", diz Mara Lobão, produtora executiva da Panorâmica.

TRÊS FUNCIONÁRIOS PEDIRAM DEMISSÃO NA GRAVAÇÃO DO PRIMEIRO EPISÓDIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.