Contra o vício

Intervenção, série vencedora do Emmy, ganha versão nacional

GABRIEL PERLINE, O Estado de S.Paulo

29 Julho 2012 | 03h11

Após um ano de produção e meses acompanhando a rotina de dependentes químicos, o canal a cabo A&E já tem data marcada para estrear a série Intervenção: quarta-feira. O programa é uma versão nacional de Intervention, vencedora do Emmy em 2009 na categoria Reality Show. Vai ao ar todas as quartas, às 23 h.

"Pensamos no projeto para o Brasil há mais ou menos dois anos e meio, quando vimos o sucesso da série nos Estados Unidos. Ao mesmo tempo, tivemos medo, pois a produção é bastante complicada. Quando tomamos a decisão, cinco produtoras recusaram o projeto antes de fecharmos com a Panorâmica. Uma delas nos disse que não teria equipe com estômago para o trabalho", diz Krishna Mahon, produtora executiva do A&E.

O programa acompanhou a rotina de oito dependentes químicos, viciados em diferentes tipos de entorpecentes, com o pretexto de produzir um documentário sobre drogas. Os momentos de lucidez, ataques de fúria, desabafos, idas às bocas de tráfico e até mesmo o instante em que fazem o uso das substâncias foram registrados pelas câmeras. Após dez dias de observação, os personagens sofreram uma intervenção surpresa, acompanhada de familiares, amigos e um médico, Fábio Damasceno ou Marcelo Piquet Pessoa, responsável pela condução de todo o processo clínico. "Alguns toparam participar do programa por conta dos 15 minutos de fama. Vieram com o pensamento 'já que não tenho nada, pelo menos vou aparecer na TV'", conta Damasceno.

Nesta intervenção, a equipe trabalha para convencer o dependente a aceitar o tratamento e se internar em uma clínica no instante seguinte à reunião com o grupo. "Houve conversas que duraram quatro horas, mas todos os personagens aceitaram a internação", afirmou Igor Coelho, diretor do programa.

A dificuldade da produção não se resumiu a convencer os personagens sobre o tratamento. Manter os funcionários na equipe foi um dos piores contratempos. "Na gravação do primeiro episódio três pessoas pediram demissão. As cenas que registramos são muito fortes e os lugares visitados são incomuns para a maioria. No fim, tudo deu certo e todos crescemos muito com as histórias que acompanhamos", diz Mara Lobão, produtora executiva da Panorâmica.

TRÊS FUNCIONÁRIOS PEDIRAM DEMISSÃO NA GRAVAÇÃO DO PRIMEIRO EPISÓDIO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.