Contos de Mário de Andrade são levados ao palco

Três contos de Mário de Andrade foram adaptados ao teatro por outro Mário, o Viana. Estréia hoje para convidados, no Teatro Popular do Sesi, o espetáculo Assim com Rose, que reúne três histórias do livro Contos Novos, de Mário de Andrade: Vestida de Preto, Atrás da Catedral do Ruão e Peru de Natal. A partir de sexta-feira, às 21 h, o público poderá conferir as sensíveis histórias do escritor que morreu há pouco mais de 60 anos. "Há um ano e meio que comecei o processo de adaptação dos textos para o teatro. O mais difícil de transpor para o palco foi Atrás da Catedral de Ruão, por ser um fluxo de pensamentos da personagem", conta o dramaturgo Mário Viana. Para tornar esse conto inteligível quando encenado, a iluminação foi um elemento imprescindível na diferenciação dos planos real e imaginário. No fim do ano passado o elenco apresentou uma leitura dramática do que viria a ser Assim com Rose. Onde? Na Casa Mário de Andrade, localizada na Barra Funda. "As histórias contadas por Mário saíram daquela casa e voltaram para lá", diz Viana. As apresentações só não vão ocorrer por lá por não haver um espaço muito grande para receber o público. O nome da peça, dirigida por Jairo Mattos, surgiu depois da constatação: Rose aparece como personagem em Vestido de Preto e Peru de Natal. A costura entre os contos será feita pelo tempo - as três histórias se passam na véspera de Natal. "A escolha do tempo em que as ações ocorrem foi adaptada livremente por mim, com exceção do conto Peru de Natal", diz Viana. O elenco - Flávia Garrafa, Flávio Faustinoni, Renato Modesto e Tânia Castello - não sairá de cena em nenhum momento, realizando inclusive o trabalho de contra-regra. O cenário é composto, basicamente, por um tablado. Fora dele é como se os atores estivessem nas coxias, no "camarim simbólico", de acordo com o dramaturgo, que fez questão de acompanhar o processo de montagem do espetáculo. Às quartas e quintas, às 20 horas, e domingos, às 19 horas, a entrada será franca, sendo que os ingressos deverão ser retirados com três horas de antecedência. Às sextas, às 21 horas, e sábados, às 20 horas, os ingressos irão custar R$ 15 (inteira) e R$ 7 (meia). Assim com Rose. Teatro Popular do Sesi, Av. Paulista, 1.313, tel. 3146-7405.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.