Conhecimento vem de emprego em Museu

O conhecimento mais aprofundado da história da arte que Charles LeDray tem vem sobretudo do acervo do Seattle Art Museum, onde trabalhou como segurança nos anos 1980. Naquela ocasião, ele pôde contemplar obras artísticas da Ásia, África e Europa, produzidas em diferentes períodos, e adquirir todo o conhecimento para produzir a sua arte pouco convencional.

Francisco Quinteiro Pires, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2011 | 00h00

Ele começou a se tornar conhecido no começo dos anos 1990 e, embora também tenha estudado em escola de artes, se considera um autodidata. Classificado como escultor, LeDray trabalha principalmente com cerâmica, tecido e ossos. Toda a sua meticulosa criação é feita à mão e em miniatura e, o que é mais surpreendente, sem nenhuma ajuda de assistentes.

Nascido em Seattle em 1960, LeDray se transferiu para Nova York, onde hoje vive e trabalha. Ele recebeu, entre outros, o Louis Comfort Tiffany Foundation Award (1993) e o American Award, da American Academy of Arts and Letters. Os seus trabalhos estão em exibição nos acervos do Museum of Modern Art, de Nova York; Whitney Museum of American Art; The Museum of Fine Arts, de Boston; e no San Francisco Museum of Modern Art. Retrospectiva de 25 anos de carreira, Workworkworkworkwork deixa o Whitney Museum em 13 de fevereiro para ficar em cartaz no Museum of Fine Arts, de Houston, entre 8 de maio e 11 de setembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.