Conheça os indicados para o Prêmio Multicultural Estadão

Em sua 5.ª edição, o Prêmio Multicultural Estadão, que será entregue entre junho e julho, no Sesc Pompéia, reúne novamente representantes das mais variadas castas culturais do País. O processo de seleção começa em março, quando a organização do prêmio vai contatar o colégio eleitoral de mais de 5 mil profissionais de cultura que atuam em todo o Brasil. Conheça os indicados:Sabato Magaldi - Um dos maiores estudiosos do teatro brasileiro e internacional, crítico, professor e imortal (ocupa cadeira da Academia Brasileira de Letras). É autor de vários livros considerados vitais para o pensamento das artes cênicas nacional, como Panorama do Teatro Brasileiro, Moderna Dramaturgia Brasileira e O Texto no Teatro. Reuniu e prefaciou o Teatro Completo de Nélson Rodrigues a pedido do autor, optando não pela ordem cronológica, mas pelo conteúdo. Milton Hatoum - Romancista, ensaísta e professor da Universidade do Amazonas, Milton Hatoum é um dos escritores brasileiros mais elogiados por jornalistas e críticos literários. Seu primeiro romance, Relato de um Certo Oriente recebeu o prêmio Jabuti em 1990, e foi publicado nos Estados Unidos e em cinco países da Europa. Seu romance mais recente, Dois Irmãos (Companhia das Letras), está sendo traduzido para vários idiomas, inclusive o árabe. Tom Zé - O grande mérito de sua música é a persistência em se manter experimental e não privilegiar regras do mercado. Músico extremamente inventivo, dificilmente aprisiona suas canções no leque dos gêneros musicais formais. Em suas composições, há baião, samba, xote, ritmos profundamente alterados por sua interferência. Criou letras contra a globalização, a prostituição infantil, a pobreza, o FMI e formas de colonização. Nos anos 70, desenvolveu instrumentos musicais a partir de eletrodomésticos e ferramentas de trabalho, registrados recentemente no disco Jogos de Amar.Amir Haddad - Considerado um dos maiores encenadores do Brasil, o criador do grupo Tá na Rua (1980) leva a arte do teatro para o espaço aberto das ruas e praças, ressaltando a importância das comemorações populares na vida social e cultural das cidades. Recupera para o teatro o seu sentido de festa popular, dela resgatando sua dramaticidade. Reconhecido internacionalmente, desenvolve uma série de atividades didáticas nas artes cênicas como oficinas, seminários e cursos. Lia Rodrigues - Ela é referência na dança contemporânea brasileira. Mestra na arte de causar impacto, pesquisadora em permanente curiosidade, cuida das suas produções com o zelo de uma bordadeira. Diferenciando-se da maioria dos coreógrafos, não produz uma obra por ano, graças ao seu modo peculiar de entender o fazer coreográfico como algo que pede continuidade e tempo. Além de dirigir sua companhia desde 1990, criou, há nove anos, o Panorama Rio Arte, que hoje se chama Rioarte de Dança, palco de experimentações com o que há de mais importante no mundo.Drauzio Varella - Médico cancerologista que pratica uma medicina social e desmistificadora, trata de assuntos que vão da ciência alternativa e colesterol até política de saúde no Brasil e a ética dos prisioneiros do Carandiru, de forma clara, em programas de rádio e TV. Foi um dos primeiros médicos brasileiros a tomarem conhecimento da existência e transmissão da aids. Desenvolve trabalho voluntário de atendimento e prevenção dentro do maior presídio do País, a Casa de Detenção de São Paulo, com cerca de 7.200 presos. Em 99, resolveu reunir em livro, histórias que ouviu dentro do presídio: Estação Carandiru (Cia. das Letras), ganhador do Prêmio Jabuti.Hermano Vianna - Antropólogo, buscou conhecer as múltiplas faces da cultura nacional. Responsável pela coordenação do projeto Música do Brasil, percorreu 80 mil quilômetros e gravou festas populares. A pesquisa resultou em 15 especiais de TV, 4 CDs, 1 livro e 1 site com o mais abrangente painel musical do País desde os anos 70, com descobertas que vão da house da Amazônia ao samba de aboio, de Sergipe. Autor do livro O Mistério do Samba, traduzido para o inglês, italiano e japonês, conta como o ritmo, em menos de uma década, passou de maldito a símbolo brasileiro, coincidindo com a valorização da mestiçagem como padrão racial brasileiro. João Moreira Salles - Um documentarista do presente e da diversidade: realizou para a TV programas premiados como Notícias de uma Guerra Particular, China, o Império do Centro e América. Responsável pela série documental Futebol, considerado o melhor trabalho dedicado ao principal esporte brasileiro, filmado ao longo de dois anos por todo o Brasil, narra a vida de atletas em diferentes momentos da carreira: o início, a fama e o anonimato de um jogador, e tem a seu favor a realidade das imagens, a verdade de seus personagens e o imponderável do dia a dia. Regina Meyer - Arquiteta urbanista e professora da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da USP, estuda as transformações ocorridas nas cidades e metrópoles no século 20. Seu trabalho aborda principalmente os problemas que afetam São Paulo e busca alternativas de projeto para reagir contra as atuais condições de precariedade. Tem propostas para a reurbanização do centro de São Paulo e região.Marcelo Luna, Lírio Ferreira e Paulo Caldas/Árido Movie - Movimento cinematográfico que reúne jovens cineastas em Pernambuco, criativo fator de renovação da retomada do cinema brasileiro. Realizaram os longas Baile Perfumado e O Rap do Pequeno Príncipe contra as Almas Sebosas. Sua principal característica é a pesquisa de uma nova linguagem cinematográfica, mistura da cultura popular nordestina com a contemporânea. Baseados no lema de "reciclar o luxo", fazem filmes baratos e com qualidade.Mãe Stella de Oxossi - Ilê Axé Opô Afonjá - Uma das principais sacerdotisas responsáveis pela preservação da religião africana no País, mãe Stella é, há 25 anos, a ialorixá do terreiro Ilê Axé Opô Afonjá, fundado em 1910 e, graças às suas características arquitetônicas, considerado Patrimônio Histórico Nacional. Situado em São Gonçalo do Retiro, em Salvador, na Bahia, a instituição desponta como um dos principais redutos da religião africana fora da África, além de ser o mais tradicional centro de candomblé do Brasil. O Opô Afonjá abriga, além do terreiro, uma floresta de mata nativa e uma escola de ensino básico que atende cerca de 300 crianças da comunidade, que têm a cultura africana como currículo obrigatório. Gilberto Chateaubriand - Reconhecido pelo estímulo e preservação da arte e dos artistas brasileiros, é responsável por uma das maiores e mais importantes coleções de arte moderna e contemporânea brasileira, atualmente com cerca de 5 mil peças. Seu modo preferido de contato com a arte é por meio do próprio autor. Assim, a coleção, cuja parcela mais expressiva foi doada em regime de comodato ao Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro possui obras essenciais do modernismo, desde o início (com telas de Anita Malfati e Tarsila do Amaral), passando pela fase mais consagratória (obras de Portinari e Di Cavalcanti) até chegar à etapa final, mais intimista. Tania Rösing - Jornada Literária - Em uma festa de celebração da literatura, desmistificando autores e obras e propondo uma aproximação entre leitores e escritores, as Jornadas Literárias preparam e formam uma sociedade de leitores críticos. Realizado desde 1981 e organizado por Tania Rösing e outros professores do curso de Letras da Universidade de Passo Fundo, no Rio Grande do Sul, o evento hoje é realizado sob uma lona, um espaço majestosamente chamado de Circo da Cultura e que abrigou, na última edição cerca de 4 mil pessoas. Carlos Rocha - FIT/BH - Organizador do Festival Internacional de Teatro Palco e Rua de Belo Horizonte, que provoca grandes interferências urbanas, Carlos Rocha promove um evento que oferece preciosas alternativas, como apresentações teatrais de vários países, incluindo diversas produções nacionais, representadas tanto no centro como na periferia da capital mineira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.