Conheça os indicados para o prêmio do "Estado"

A busca de caminhos renovados dacultura, sem segmentações de setores artísticos ou profissionaisuma vez que as fronteiras culturais estão em constanterenovação no mundo contemporâneo, norteou a escolha feita pelosnove participantes da comissão de seleção do 6.º PrêmioMulticultural Estadão, que neste ano conta com o patrocínio daSerasa. Dez nomes de criadores foram escolhidos justamente porserem responsáveis por ações transformadoras na culturabrasileira. É o caso do artista plástico Abraham Palatnik,pioneiro da arte cinética em todo o mundo, realizando em 1951sua primeira máquina cinecromática. Ele representa as origens doprocesso de utilização cada vez mais freqüente de linguagenstecnológicas na criação artística, provando que não hánecessidade dos instrumentos clássicos, como tinta, tela oupincel, para construir uma obra seminal. Novos caminhos também foram descobertos pela bailarina,artista plástica, atriz e coreógrafa Angel Vianna que, com omarido Klaus, construiu uma carreira dedicada à formação decorpos conscientes e expressivos, capacitados a gerar novaslinguagens em dança. Há 20 anos, ela fundou a Escola Angel Viana que já formou nove companhias profissionais de dançacontemporânea e profissionais em diversas áreas. Outro indicado, o ator e diretor Antônio Abujamra jádirigiu espetáculos de diversos autores com os mais variadosatores. Criador irrequieto, ele apresenta uma das mais sólidascarreiras no teatro brasileiro, com mais de 60 montagens.Atualmente comanda o programa Provocações, exibido pela TVCultura, no qual transforma uma simples entrevista em um momentode rara inteligência. Já o artista plástico Artur Barrio é dono de umatrajetória que ultrapassa os aspectos formais e estéticos daarte para se posicionar em relações a questões subjetivas, dohomem e da sociedade. Trata-se de um criador que se utiliza doespaço físico, pois nunca teve um ateliê de criação. As experiências também interessam o sergipano HelderAragão de Melo, mais conhecido como DJ Dolores, que conseguiu afusão perfeita da música eletrônica com ritmos nordestinos. Elemistura, por exemplo, sanfona com guitarra wah wah e o resultado antes de provocar um ruído incômodo, permite um avanço nomangue beat de Chico Science. Com idêntica inquietação, o vídeo-artista Eder Santosaproveita artisticamente as imperfeições e os ruídos do formatovídeo, sistematicamente eliminados na televisão comercial. E, apartir do novo suporte (vídeo), inicia suas experiências nasartes plásticas, buscando uma nova estética. Fundado em 1982 por cinco atores mineiros, o GrupoGalpão se caracteriza por ser um dos raros grupos de teatro emtodo mundo formado apenas por atores (hoje são 13) que trabalhamcom diretores diversos, convidados ou escolhidos entre seusintegrantes. Em 20 anos, alternou trabalhos em palco comespetáculos de rua, guardando sempre seu propósito original deaproximação de amplas faixas de público. Também indicado como criador, o crítico e professor daEscola de Comunicações e Artes da USP Ismail Xavier dedica-se hámuito ao estudo do cinema de países em desenvolvimento, o Brasilem particular. Pertencente à mesma vertente filosófica deAntonio Candido, ele pensa a arte como um diálogo com o seutempo e lugar. Com seu jeito provocador e radical, o cantor, violinista compositor, arranjador e ator Jards Macalé constrói uma músicaque navega do popular ao erudito. Compôs trilhas sonoras e atuouem filmes importantes do cinema nacional, como Macunaíma,O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro, GetúlioVargas e Imagens do Inconsciente. Ou seja, mistura, sempreconceitos, o popular e o erudito, a técnica e a intuição,para criar uma obra que tanto encanta intelectuais como alcançasucesso popular. Também indicado, Paulo César Peréio se destaca como umdos maiores atores do cinema brasileiro, atuando em filmesmemoráveis como Terra em Transe, de Gláuber Rocha.Coadjuvante ou protagonista, tem uma forma peculiar de atuar, emque utiliza com eficiência sua ironia e deboche. É dono de umapersonalidade fora do comum, capaz de imprimir sua marca emtodos os papéis que interpreta: o ator como personagem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.