Marcia Gonzalez
'Um prazer inacreditável', fala Guilherme Arantes sobre seu novo show Marcia Gonzalez

'Um prazer inacreditável', fala Guilherme Arantes sobre seu novo show Marcia Gonzalez

Guilherme Arantes faz show em SP; veja outras atrações do fim de semana

Cantor faz apresentação única; Leandro Lehart, Paulinho Moska e Manu Gavassi também estão na programação

Danilo Casaletti , Especial para o Estadão

Atualizado

'Um prazer inacreditável', fala Guilherme Arantes sobre seu novo show Marcia Gonzalez

Em julho de 2021, o cantor e compositor Guilherme Arantes lançou o álbum A Desordem dos Templários, com canções inspiradas no estilo barroco e no rock progressivo, duas das paixões do artista.

Agora, ele traz para a cidade, em única apresentação, o show inspirado nesse trabalho. Em papo com o Estadão, Arantes conta que a banda que gravou o álbum será a mesma que o acompanhará no espetáculo. “A transposição para o palco está sendo muito tranquila, nos nossos ensaios, um prazer inacreditável”, diz.

O repertório, além das novas canções, vai incluir os grandes hits da carreira do artista – e nisso, Arantes é um dos maiores recordistas. 

“Fizemos um setlist para não decepcionar nem aos que buscam as novidades do disco e nem aos que querem as minhas canções mais conhecidas. Muitas destas sempre trouxeram um certo ‘acento progressivo’, como Amanhã, Raça de Heróis, Planeta Água e Êxtase”, explica.

O cenário do show vai reproduzir a capa do álbum em vinil, um desenho com inspiração medieval.

Arantes diz que sente uma “alegria muito emocional” por estar no palco depois do período da pandemia. Ele também se anima com a procura dos mais jovens por seu trabalho. “Sei que tem muitos jovens na plateia também compartilhando o mesmo universo musical comigo. Fazer esse crossover social, geracional, múltiplo, é um grande privilégio”.

Hoje (5), 22h. Tokio Marine Hall. R. Bragança Paulista, 1.281, Chácara Santo Antônio. R$ 100/R$ 200. Compre aqui.

Paulinho Moska

Usando instrumentos feitos com madeiras de rescaldo recuperadas do incêndio do Museu Nacional, o cantor e compositor faz shows em tom intimista no qual Pensando em Você e Último Dia. Sáb. (6), 20h e 22h30. Blue Note. Av. Paulista, 2.073, 2° andar, Consolação. R$ 160. Compre aqui.

Zé Renato

O cantor e violonista faz homenagem ao compositor Paulinho da Viola. Acompanhado pelo percussionista Paulino Dias, ele mostra canções que gravou no álbum-tributo O Amor é um Segredo, entre elas, Para um Amor no Recife e Minhas Madrugadas. Hoje (5), 20h. Blue Note. Av. Paulista 2.073, 2º Andar, Consolação. Compre.

Leandro Lehart

Em show solo, o músico, que também é líder do Art Popular, apresenta o show Violão É no Fundo do Quintal 2, como hits do samba e pagode em versões de hits do lendário grupo puxadas para o instrumento. Entre as selecionadas para o repertório estão as canções Tudo é Festa e Carta Musicada. Dom. (7), 19h30. Teatro Gazeta. Av. Paulista, 900, Bela Vista. R$ 80. Garanta seu ingresso.

Manu Gavassi

Após três anos fora dos palcos, a  cantora e atriz Manu Gavassi apresenta o show Eu só queria ser normal que traz músicas como Garoto Errado, Planos Impossiveis, Vício e Bossa Nossa. Dom. (7), 20h. Espaço Unimed. Rua Tagipuru, 795, Barra Funda. R$ 180/R$ 420. Compre seu ingresso.

Mauricio Pereira

O cantor e compositor se une ao guitarrista Tonho Penhasco no show Micro. Eles apresentam músicas como Florida, Mulheres de Bengalas, Criancice e Tudo Tinha Ruído. Sáb. (6), 19h; dom. (7), 20h. Teatro Sérgio Cardoso. Rua Rui Barbosa, 153, Bela Vista. R$60/R$ 90. Ingressos aqui.

Carol Naine

A cantora festeja o legado dos compositores Adoniran Barbosa e Cartola no show Rir para não chorar, com músicas como Saudosa Maloca, O Mundo é um Moinho, Tira ao Álvaro e Alvorada. A cantora Bernadete, a primeira mulher a puxar samba-enredo em São Paulo, faz participação especial. Sáb. (8), 20h.  Centro Cultural Olido. Av. São João, 473, Centro. Grátis (retirar ingresso 1h antes).

IPA Day

Promovido pela cervejaria Lagunitas, o IPA Day reúne, em dois dias, apresentações de bandas da cena independente, ao ar livre. No sábado (6), os shows são das bandas Pelados e Deadfish e dos músicos Alex Albino e Chuck Hipolitho. No domingo (7), sobem ao palco Francisco El Hombre, Pluma e Chuck & os Crushes. A partir das 15h. Arena Radical. Pça. Augusto Rademaker Grunewald, 37, Vila Olímpia. Grátis (reservar aqui).

Osesp

O regente nicaraguense Giancarlo Guerrero comanda a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo para apresentar obras como Concertino para Clarinete e Concertino para Fagote, de Francisco Mignone, e a estreia latino-americana da composição Chamber Dance, da compositora contemporânea americana Joan Tower. Hoje (5), 20h30; sáb. (6), 16h30. Sala São Paulo. Pça, Júlio Prestes, 16, Campos Elíseos. R$ 50/R$ 230. Compre aqui.

Coletivo PianoVero 

O concerto De sons e terras distante, apresentado pelo Coletivo PianoVero, reúne 16 pianistas, de diferentes localidades do Brasil, que interpretarão obras compostas pelo armênio George Gurdjieff e pelo ucraniano Thomas de Hartmann. A direção musical é de Vera Di Domenico. Dom. (7), 18h30. Auditório MASP. Avenida Paulista, 1.578, Bela Vista. R$ 40. Ingressos.

Beto Lee

Dentro do show de premiação do eFestival Canção 2022, o guitarrista Beto Lee apresenta o projeto CeLEEbration no qual faz uma homenagem a sua mãe, Rita Lee, com músicas como Saúde, Mania de Você e Banho de Espuma. Dom. (7), 11h. Auditório Ibirapuera. Plateia externa. Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº. Ibirapuera. Grátis.

Festival Dialéticas Afro-Musicais

Dentro da programação do Festival Dialéticas Afro-Musicais, que inclui debates e rodas de conversa sobre a herança do povo africano na América Latina, o cantor e compositor François Muleka e o multi-instrumentista Filó Machado se apresentam para celebrar a forte presença dessa ancestralidade na música brasileira.  Sáb. (6), 18h30. Centro Cultural São Paulo. Sala Adoniran Barbosa. R. Vergueiro, 1.000, Liberdade. Grátis.

Negredo e Mano Brown

Em comemoração aos 10 anos das Fábricas de Cultura, o grupo Negredo, que lança seu 4º álbum intitulado Invadiu já era, convida o rapper Mano Brown para uma apresentação que celebra o rap nacional. Dom. (7), 14. Fábrica de Cultura Jardim São Luís. R. Antônio Ramos Rosa, 651, Jardim São Luís. Grátis. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Telenovela Bem Amado estreia em versão musicada; veja outras peças em cartaz

O ator Cassio Scapin, que vive Odorico, explica que as músicas - compostas por Zeca Baleiro e Newton Moreno - funcionam como 'comentaristas' de algumas cenas

Danilo Casaletti, Especial para o Estadão

05 de agosto de 2022 | 05h00

A história do inescrupuloso coronel Odorico Paraguaçú, um tipo bem comum na política brasileira, foi escrita por Dias Gomes para teatro, em 1962, na peça Odorico, o Bem Amado, ou Os Mistérios do Amor e da Morte

A trama ganhou fama nos anos 1973, quando virou telenovela, protagonizada por Paulo Gracindo. Década depois, chegou ao cinema. Agora, o diretor Ricardo Grasson apresenta uma versão musicada para o teatro, com músicas compostas por Zeca Baleiro e Newton Moreno.

O ator Cassio Scapin, que vive Odorico nessa nova versão teatral, explica que as músicas funcionam como “comentaristas” de algumas cenas e trazem um olhar crítico para a trama. “Tudo isso com uma pegada brasileira, festival, da música popular. O que aproxima ainda mais a plateia da narrativa do espetáculo”.

Sobre reviver um personagem tão emblemático, e ainda presente na memória de muitos espectadores, Scapin diz que o personagem continua por aí, buscando um carisma de forma politiqueira. “Odorico é uma grande caricatura de um comportamento político brasileiro, de um momento histórico que estamos vivendo, que parece ficcional, mas não é”, diz.

No elenco, além de Scapin, estão nomes como Guilherme Sant’Anna, Eduardo Semerjian, Marco França, Rebeca Jamir, Luciana Ramanzini e Kátia Daher que revivem outros habitantes da fictícia cidade de Sucupira, como as santarronas irmãs Cajazeiras e o pistoleiro Zeca Diabo.

Estreia hoje (5). 6ª, 21h; sáb., 20h; dom., 18h. Sesc Santana. Av. Luiz Dumont Villares, 579, Santana. R$ 12/R$ 40. Até 11/9. Compre aqui seu ingresso.

Clássico de volta

Protagonizada por Mateus Solano e Luis Miranda, a comédia O Mistério de Irma Vap faz nova temporada na cidade. Na adaptação de Jorge Farjalla a partir do texto de Charles Ludlam,a  ação se dá dentro de um trem fantasma, no qual Lady Enid, a nova esposa do excêntrico Lord Edgar, tem que conviver com o fantasma da primeira mulher de seu marido. Reesteria hoje (5). 6ª e sáb., 21h; dom., 19h. Teatro Procópio Ferreira. Rua Augusta, 2.823, Cerqueira César. R$ 80/R$ 150. Até 4/9. Compre aqui.

Um olhar para São Paulo

A atriz Regina Braga, sob direção da atriz Isabel Teixeira, apresenta o espetáculo São Paulo, no qual ela, por meio de textos e relatos de personalidades como do Padre José de Anchieta e do escritor Castro Alves, traz uma visão afetiva da cidade. Com o apoio de uma banda, ela canta ao vivo canções como Sumaré, de Chico César, e Persigo São Paulo, de Itamar Assumpção. Reestreia hoje (5). 6ª e sáb., 20h; dom., 19h. Teatro Itália Bandeirantes. Avenida Ipiranga, 344, República. R$ 90. Até 28/8. Ingressos.

Homenagem às comediantes

Em sua nova peça, Uma Loira na Lua, a atriz Alexandra Richter homenageia nomes da comédia e personalidades como Dercy Gonçalves, Nair Bello, Hebe Camargo, Berta Loran e Lucille Ball. Entre as situações, estão uma mulher que faz de tudo para ficar perto do cantor Roberto Carlos em um cruzeiro e outra que faz um desastrado teste para ser garota propaganda de um xarope. A direção é de Luiz Antônio Rocha.Estreia hoje (5). 6ª e sáb., 20h; dom., 19h. Teatro Opus Frei Caneca. Rua Frei Caneca, 569, Consolação. Até 25/9. Compre aqui. 

A solidão nossa de cada dia

Espetáculo inédito da cia Os Satyros, Os Condenados, de Ivam Cabral e Rodolfo García Vázquez, parte da solidão da personagem Antena, cuja única atividade é alimentar pombos em uma praça, para tratar de questões políticas que falam de sociedade e coletivo, como a propagação global de um movimento conservador. Estreia sáb. (6). 6ª e sáb., 21h; dom., 19h. Espaço dos Satyros. Pça. Franklin Roosevelt, 214, Consolação. R$ 40. Até 25/9. Garanta seu lugar.

12 horas de duração

Na experiência cênica Agamenon 12h, a partir do texto do autor argentino Rodrigo García, em sua primeira adaptação brasileira, 12 atores reinventam a tragédia diária a partir da história de um pai de família decepcionado por seu vazio existencial após uma compra por aplicativo. O espectador poderá entrar e sair da peça quando quiser. A concepção e direção de Carlos Canhameiro. Estreia 4ª (10). 4ª a sáb., 10h/22h. Sesc Avenida Paulista. Térreo. Av. Paulista, 119, Bela Vista. Grátis. Até 27/8.

Teatro de mamulengo

A mostra de repertório Mestre Valdeck de Garanhuns 38 Anos em Prosa e Verso celebra a cultura popular do teatro de mamulengo e o legado de Valdeck ao apresentar, ao longo do mês, oito diferentes espetáculos nos parques da cidade. Neste fim de semana, é a vez das montagens Os Mitos da Floresta em defesa da Natureza (sábado, 6) e Folia Brasileira (domingo, 7). Parque Aclimação. R. Muniz de Sousa, 1.119, Aclimação. 16h. Grátis.

A abelha e a formiga

A cia de teatro de bonecos BuZum! apresenta a fábula Floresta Viva.  Voltado para público infanto-juvenil. Na história, a abelha Filó conhece uma formiga esperta, a Jacira. Juntas, apesar de todos os perigos que enfrentam na floresta, elas trabalham para a preservação do ecossistema do ligar onde vivem. A direção é Fábio Caniatto. Sáb. (6), 19h. Teatro Municipal Flávio Império. R. Prof. Alves Pedroso, 600, Cangaiba. Dom. (7), 15h. Casa de Cultura Municipal Santo Amaro. Av. João Dias, 822, Santo Amaro. Grátis.

Temporada de dança

As companhias nacionais Grupo Corpo, São Paulo Companhia de Dança, Cia de Dança Deborah Colker, Mimulus Cia de Dança, Cisne Negro Cia de Dança, Balé da Cidade de São Paulo e a internacional Sankai Juku estão na programação da 19ª Temporada Alfa de Dança. A abertura ficará a cargo do Corpo, que apresentará um repertório que homenageia Caetano Veloso e Gilberto Gil. Estreia 5ª (11). Teatro Alfa. R. Bento Branco de Andrade Filho, 722, Santo Amaro. R$ 50/R$ 120. Programação completa aqui.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Pinturas, fotos e gravuras compõem exposições por São Paulo

'Evandro Carlos Jardim: Neblina' reúne 50 obras impressas da capital paulista

Danilo Casaletti, Especial para o Estadão

05 de agosto de 2022 | 05h00

A cidade desenhada

A exposição Evandro Carlos Jardim: Neblina, com curadoria de Paulo Miyada e Diego Mauro, se organiza em torno de um conjunto de gravuras chamado Tamanduateí Contraluz, que reúne 50 obras impressas desde 1980 até hoje. São gravuras que o artista fez de pontos da cidade de São Paulo, entre eles, as margens do Rio Tamanduateí e o Palácio das Indústrias. Inauguração: 4ª (10). 3ª a dom., 11h/20h. Instituto Tomie Ohtake. Av. Faria Lima. 201 (entrada pela Rua Coropés 88), Pinheiros. Grátis. Até 20/11.

De outro ângulo

A mostra Retratos do empreendedorismo reúne 34 trabalhos de Claudio Gatti, fotojornalista que se dedica a registrar altos executivos de maneira criativa. Entre os fotografados, estão nomes como Leonardo Senna, Sergio Arno, Adriana Barbosa e Abílio Diniz. Inauguração: 3ª (9). 3ª a dom., 11h/19h. MIS. Av. Europa, 158, Jd. Europa. Grátis. Até 11/09.

Diferentes inspirações

A exposição Sem sombra de dúvida, Maria Andrade, reúne pinturas que retratam paisagens das serras do Rio de Janeiro, além de imagens que habitam seu imaginário. Já a mostra Selva, de Fabrício Lopez trabalhos com carvão sobre madeira e as serigrafias de grandes dimensões criadas durante a pandemia que tem o preto como cor predominante. Inauguração: sáb. (6). 2ª a 6ª, 10h30/19h; sáb., 11h/16h. Galeria Marília Razuk. R. Jerônimo da Veiga 131, Itaim Bibi. Grátis. Até 14/9.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Palavra Cantada faz show em SP; veja mais atrações infantis

Além da apresentação do grupo, fim de semana também conta com espetáculos de ilusionismo e a estreia teatro de 'Diário de Pilar'

Vanessa W. Skilnik, www.bora.ai

05 de agosto de 2022 | 05h00

A dupla Palavra Cantada retorna aos palcos de São Paulo com o show Vem Cantar com a Gente que traz os maiores sucessos dos 28 anos de trabalho. O espetáculo é marcado por momentos para pais e filhos cantarem e curtirem juntos as canções tão presentes no dia a dia dos pequenos. O fim de semana tem ainda a estreia em São Paulo da peça Diário de Pilar da Grécia e um espetáculo de teatro infantil com ilusionismo.

Show do Palavra Cantada

É a chance de ouvir as canções mais conhecidas da dupla todas juntas. Pé com Pé, Fome Come, Pomar, Ora Bolas, CirandaCriança não Trabalha, Sambinha da Fralda Molhada, Samba do Mexe-Mexe, Pindorama, Coloridos, Canção da Mamãe, Eu sou um Bebezinho, Passeio do Bebê, Tchibum da cabeça ao bumbum, O Explorador, Sopa e Menina Moleca estarão no repertório. Tokio Marine Hall. Dom. (7), 18h. R$ 80 a R$ 160. 1h15

Estreia teatral: Diário Pilar da Grécia

Após longa temporada no Rio chega a São Paulo a primeira adaptação para o teatro de um dos livros infanto-juvenis mais vendidos no país, a série Diário de Pilar, da escritora Flavia Lins e Silva. Idealizado e estrelado pela atriz Miriam Freeland, conta a história de Pilar, uma menina aventureira e curiosa, ao tratar sobre coragem e amizade. Pilar mora com a mãe e o avô Pedro. Não conheceu seu pai, que “misteriosamente” saiu de sua vida antes mesmo dela nascer. Um dia, seu avô parte para uma viagem rumo à Grécia, e ela, morrendo de saudade, resolve viajar também. Mas logo depois recebe a notícia que seu avô não voltará mais de lá. Inconformada e decidida, Pilar encontra um presente deixado por ele: uma rede mágica que pode levá-la a qualquer lugar que desejar. Ao embarcar para a Grécia em sua rede, vive histórias incríveis acompanhada de seu amigo Breno e de seu gatinho Samba. Teatro das Artes. Sáb. e dom., 15h. R$ 80 (inteira). Até 11/9. 60 minutos

Ilusionismo e teatro

VIK – O Micro Espetáculo, teatro ilusionista de Maicon Clenk, aborda a magia dos ciclos da vida e conta a história de um ser que tem a missão de proteger o reino vegetal, quando então decide retornar à pedra sagrada e semear em terras áridas. Os efeitos mágicos contam uma história e o mágico tradicional dá lugar a outras personagens, interpretadas por atores, bailarinos e acrobatas. É o primeiro solo do mundo interpretado por uma artista com nanismo, a atriz Juliana Caldas. Os bonecos da peça foram criados pelo artista plástico Jésus Seda, um dos responsáveis pela criação dos icônicos usados nos programas de TV Castelo-Rá-Tim-Bum e Cocórico. Teatro Alfa. Sáb., 16h e 20h30; dom., 16h. R$ 40 (inteira). Até 28/8. 60 minutos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.