Vega Film
Vega Film

Confira atrações para aproveitar o final de semana dentro ou fora de casa

No cinema, o destaque fica para o filme 'Minha Irmã' de Stéphanie Chuat e Véronique Reymond. Já no teatro, a peça ‘Para Duas’ oferece sessões especiais com presença de público

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de janeiro de 2021 | 05h00

Cinema por Mariane Morisawa, especial para o Estadão

Escolhido pela Suíça para tentar uma vaga no Oscar de filme internacional, o longa-metragem dirigido por Stéphanie Chuat e Véronique Reymond é um drama sobre a dificuldade de uma mulher de equilibrar a família e as pretensões artísticas. Lisa (a sempre ótima atriz Nina Hoss) deixa marido e filhos na Suíça e volta a Berlim para cuidar do irmão gêmeo Sven (Lars Eidinger), um ator que sofre de leucemia. Os dois nasceram numa família de artistas, mas Lisa quase não teve tempo de se dedicar a escrever peças, por causa de sua família. 99 min. 14 anos. Espaço Itaú Frei Caneca: 18h. Petra Belas Artes: 14h20, 18h30. Reserva Cultural: 13h30, 17h50.

Outras estreias

Dente por Dente

Dir. Júlio Taubkin e Pedro Arantes. Neste thriller, Juliano Cazarré é Ademar, que se junta a Joana (Paolla Oliveira), filha de seu sócio numa empresa de segurança, para investigar a morte de Teixeira (Paulo Tiefenthaler). O filme discute violência social e gentrificação. 85 min. 16 anos. Anália Franco: 16h, 18h05. Central Plaza: 15h50, 18h10. Espaço Itaú Frei Caneca: 15h, 16h40, 18h20. Espaço Itaú Pompeia: 14h40, 16h30, 18h20. JK Iguatemi: 16h30, 19h. Jardim Pamplona: 14h15, 19h40. Jardim Sul: 16h15, 18h15. Metrô Itaquera: 17h30, 19h45. Metrô Santa Cruz: 13h30, 16h, 18h20. Petra Belas Artes: 16h20. Reserva Cultural: 15h40. Santana: 14h40, 17h. Shopping D: 16h, 18h20. 

Perfil de uma Mulher

Dir. Kôji Fukada. No filme que competiu em Locarno em 2019, a enfermeira particular Ichiko (Mariko Tsutsui) considera a família Oisho como se fosse sua. Mas sua vida pacata é perturbada quando seu sobrinho sequestra um membro da família de seus patrões. 111 min. 14 anos. Espaço Itaú – Anexo: 13h30, 15h40, 18h. Espaço Itaú Frei Caneca: 15h40. Petra Belas Artes: 18h50. Reserva Cultural: 17h30.

A Ponte de Bambu

Dir. Marcelo Machado. Neste documentário, o jornalista Jayme Martins e sua família falam sobre as transformações da China nas últimas décadas. 70 min. 10 anos. Espaço Itaú Augusta: 13h30, 18h30.

Os cinemas estarão fechados no sábado e no domingo em razão da fase vermelha do Plano São Paulo, mas não faltam opções para ver em casa pelo streaming.

Mulher-Maravilha 1984

O filme de Patty Jenkins continua em cartaz nos cinemas, mas já pode ser visto, para compra e aluguel, nas plataformas digitais Apple TV, Claro, Google Play, SKY Play, Vivo Play e UOL Play.

Posto de Combate

Estrelado por Orlando Bloom, o filme chega direto no Now, Apple TV, Google Play, Vivo Play, YouTube e SkyPlay. O longa de Rod Lurie é baseado no livro-reportagem de Jake Tapper (da CNN americana) sobre a batalha mais mortal para as forças americanas na Guerra do Afeganistão. 

O Hotel às Margens do Rio

Outro filme que não passou pelos cinemas brasileiros tem como diretor um dos maiores cineastas em atividade, o sul-coreano Hong Sang-soo. No filme, um poeta famoso e uma jovem mulher se recuperando de um romance fracassado se refugiam num hotel à beira do Rio Han. 

Ressaca

O documentário de Patrizia Landi e Vincent Rimbaux também vai direto no Net Now, Oi Play e Vivo Play. O filme, que ganhou o Emmy Internacional, acompanha a espera e a resistência do corpo artístico do Theatro Municipal do Rio de Janeiro quando seus salários são suspensos.

Monos: Entre o Céu e o Inferno

De Alejandro Landes, é o candidato da Colômbia a uma vaga no Oscar. Foca num grupo de guerrilheiros adolescentes encarregados de vigiar uma refém americana. Disponível no Net Now, Vivo Play, Looke, SkyPlay e Belas Artes À La Carte.

#EmCasaComSesc

O projeto do Sesc exibe gratuitamente Adam, de Maryam Touzani, sobre uma viúva que abriga uma jovem solteira grávida no Marrocos; o documentário Onde Está Você, João Gilberto?, de Georges Gachot, que traz o diretor ao Rio de Janeiro seguindo os passos do recluso cantor, que morreu em 2019; e o documentário Outro Sertão, de Adriana Jacobsen e Soraia Vilela, sobre a estadia do escritor João Guimarães Rosa na Alemanha nazista – ele foi vice-cônsul em Hamburgo entre 1938 e 1942. 

Teatro por Ubiratan Brasil

A pandemia resumiu a praticamente zero o número de espetáculos teatrais presenciais, ou seja, púbico e atores se emocionando juntos no mesmo espaço. Mesmo assim, alguns resistiram e, seguindo rigorosamente as recomendações de saúde, promovem o salutar jogo teatral. É o caso da peça Para Duas, que terá duas sessões com a presença de plateia: nesta sexta, 29, e na segunda, 1.º, no Teatro Sérgio Cardoso, Sala Paschoal Carlos Magno, às 19h, com 40% da capacidade (58 lugares). 

Trata-se do encontro entre Anete (Karin Rodrigues) e sua filha Tula (Chris Couto) após anos de separação, durante um jantar improvisado, acompanhado pela sombra de um pai não mais presente, interpretado por Claudio Curi. A dramaturgia mundial é rica em acertos de conta entre mãe e filha, que costuma deixar marcas profundas na alma. É o que mostra o texto escrito por Ed Anderson, sensível reflexão sobre amor e recusa, culpa e perdão.

“Na verdade, quase não se pode dizer que é um reencontro, pois elas viveram distantes durante muito tempo”, comentou Chris ao Estadão, quando a peça estreou, em agosto. “Ela foi criada pelo pai e, por isso, guarda muito rancor da mãe.” 

“É uma história sobre família, nos enxergamos dentro dessa história, nos traz identificação, põe em cena um duelo de mulheres”, diz o diretor Elias Andreato. “Duas personagens inteligentes, espirituosas, de raciocínio veloz, que certamente surpreenderão o público com as suas várias facetas.” R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia); ingressos em sympla. com.br/teatrosergiocardoso.

Mostra de Repertório do Grupo Tapa

O encerramento do festival será com dois espetáculos gravados: Vidas à Margem (sáb., 30), com Flavio Tolezani e Natalia Gonsales; e O Urso (dom., 31), com Brian Penido Ross, Camila Czerkes e Dalton Vigh. 19h. Ingressos R$ 20; sympla.com.br 

Exposições por Júlia Corrêa

A programação deste ano dos principais museus da cidade já começa a ficar mais robusta. A partir de segunda-feira, 1º de fevereiro, até 31 de maio, a Estação Pinacoteca (Lgo. General Osório, 66, Luz) apresenta Fayga Ostrower – Imaginação Tangível, exposição que reúne, sob curadoria de Carlos Martins, 130 trabalhos da artista que foi uma das pioneiras da gravura abstrata no Brasil e cujo centenário de nascimento é celebrado agora. A entrada para a mostra é gratuita, mas é preciso reservar ingressos pelo site pinacoteca.org.br. 

Com inauguração na próxima quarta-feira, 3 de fevereiro, o CCBB (R. Álvares Penteado, 112, centro) recebe a mais ampla retrospectiva da produção de Ivan Serpa – são mais de 200 trabalhos representativos das diferentes fases da trajetória do artista, tido como um dos mestres da arte concreta brasileira. Sob curadoria de Marcus de Lontra Costa e de Hélio Márcio Dias Ferreira, a exposição, gratuita, fica em cartaz até 12 de abril. O agendamento deve ser feito pela plataforma Eventim (eventim.com.br)

Programação celebra Augusto de Campo

Entre 2 e 25 de fevereiro, os museus Casa das Rosas e Casa Guilherme de Almeida promovem uma série de atividades online e gratuitas para comemorar os 90 anos de um dos ícones da poesia concreta brasileira. Entre as atrações, um encontro via Zoom, na terça-feira, 2, às 19h, aborda as suas diferentes estratégias para alcançar o público, da tipografia ao Instagram. Nos dias 3 e 4 de fevereiro, Raquel Campos conduz curso sobre a “visualidade concreta” do poeta. Informações e inscrições em bit.ly/aug90.

Opção online

Para quem prefere ver uma exposição sem sair de casa, uma alternativa é conhecer a produção da artista sul-coreana Ayoung Kim, em cartaz de 1º a 28 de fevereiro na plataforma Videobrasil Online. Suas criações giram em torno de temas como “biopolítica”, controle de fronteiras e inteligência artificial. As obras apresentadas na mostra, com curadoria de Solange Farkas, são em vídeo e foram produzidas entre 2010 e 2021. Do ano passado, uma delas, intitulada At the Surisol Underwater Lab, imagina o mundo num futuro próximo, cerca de uma década depois da pandemia de covid-19, marcado pelo esgotamento de recursos naturais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.