Compras e forró: distrações de atores da Globo na Amazônia

O Acre não só existe mesmo como tem ponta de estoque de grife famosa, descobriram as atrizes da Globo que estão em Rio Branco nas gravações da minissérie Amazônia, de Galvez a Chico Mendes (estréia em janeiro). A tal loja de descontos, que fica bem em frente ao Hotel Pinheiro, onde se hospeda a equipe, virou o point preferido das famosas, que costumam relaxar fazendo comprinhas depois de horas gravando debaixo de sol. ?A Christiane Torloni vem aqui quase todos os dias?, entrega uma vendedora. A Globo montou uma cidade cenográfica de 2 mil metros quadrados em Porto Acre, a 60 quilômetros de Rio Branco, e concentra quase toda a produção ali - poucas cenas serão gravadas em Rio Branco de fato e em Manaus. Já é um roteiro do acreano antenado: ir a Porto Acre, arriscar um autógrafo e, quem sabe, ver uma cena. Melhor ainda é virar figurante: algumas cenas movimentam 500 deles.Na porta do Pinheiro, caçadores de autógrafos fazem marcação cerrada, não importa o calor. Nem sempre são recebidos com um sorriso pelos atores e atrizes. Elas, comenta-se, são as ?menos simpáticas?. Eles, derretem-se as moças, são ?uns queridos?. ?Sabe que a Giovanna Antonelli mandou fechar uma academia daqui para ela fazer ginástica sozinha??, conta uma freqüentadora da porta do hotel. ?O mais simpático é o Alexandre Borges, que já me deu três autógrafos. E o José de Abreu é praticamente um acreano, até no forró ele vai?, continua entregando a vendedora.Fora o trabalho na minissérie, com estréia prevista para 2 de janeiro, e o forró, José de Abreu defende a candidatura do presidente Lula na mídia local. Nessas ocasiões, procura elogiar a gestão do anfitrião, o petista Jorge Vianna. ?O Acre é um Estado onde o PT deu certo?, diz ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.