Complexo da Praça das Artes vai incluir o Cine Marrocos

O Cine Marrocos, outro prédio emblemático do centro de São Paulo, também vai integrar a Praça das Artes. Construído originalmente nos anos 1940, o Marrocos foi inaugurado em 1952 e serviu como sede para o Festival Internacional de Cinema de 1954. Hoje desativada, a sala acaba de ser incorporada ao complexo, que só deve ser finalizado em 2013.

AE, Agência Estado

15 de agosto de 2012 | 11h10

Tombado pelo patrimônio histórico, o antigo cinema será restaurado e terá também um novo uso. A área do hall, conhecida por sua decoração de inspiração mourisca, será transformada em um restaurante. Já a sala de projeção será remodelada para ganhar as feições de teatro. "A parte onde está a tela não tem a profundidade necessária para um palco. E a inclinação da plateia também precisa ser revista", diz o arquiteto Marcos Cartum sobre o projeto de adaptação.

De acordo com o secretário municipal de Cultura, Carlos Augusto Calil, depois de reformado o espaço poderá receber apresentações de artes cênicas e música. Está prevista ainda a construção de uma ligação direta entre o edifício e o novo complexo artístico. Além de sua porta principal, o Marrocos ganhará uma abertura lateral, que o integrará ao interior da praça.

Idealizada para funcionar como um bulevar, a Praça das Artes deve servir como espaço de travessia de pedestres que circulam entre a Avenida São João, a Rua Conselheiro Crispiniano e o Vale do Anhangabaú. "O projeto recupera uma solução muito empregada no centro que é a das galerias, áreas que servem para a passagem", pontua o arquiteto. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.