Companhia do Canadá encena "Carmen"

A cigana Carmen, da famosa ópera de Bizet, na versão de Didy Veldman, mantém o roteiro da ópera, mas muda o contexto, a atmosfera criada por Bizet, o figurino, que utiliza roupas comuns como o jeans. Será encenada pelo Les Grands Ballets Canadiens, somente este fim de semana, no Teatro Alfa, com arranjo musical de John Longstaff."Escolhemos apresentar Carmen no Brasil porque a personagem é sensual, bem latina", conta o diretor artístico Gradimir Pankov. A coreografia criada por Didy é uma adaptação com uma característica muito peculiar: a história passa-se em Copacabana. A criadora ensinou dança em Salvador e São Paulo e escolheu o Rio como cenário."Esta é uma peça que tem muito em comum com o Brasil e, de certa maneira, com toda a América Latina, porque há a indústria do tabaco, o tráfico entre outros elementos. Com essa mudança de atmosfera, procuramos atrair vários públicos, aquele mais ligado à dança contemporânea e aqueles que gostam de ópera", esclarece o diretor.Pankov fala sobre seu estilo: "Não sigo uma linha específica, não utilizo improvisações, sou como um diretor de uma galeria de arte, que decide onde e como colocar os objetos."E é ele quem dá forma ao espetáculo: "Em Carmen e nos demais projetos do Les Grands Ballets Canadiens, eu cuido de tudo, passando da música ao figurino. Além de desenvolver o trabalho de pedagogo do grupo", conta. O dia da companhia começa com as aulas de balé clássico com 1h30 de duração, que são ministradas por ele. Depois, o grupo de 34 bailarinos segue o dia no estúdio ensaiando o repertório.Les Grands Ballets Canadiens. Coreografia de Didy Veldman. Direção artística de Gradimir Pankov. Amanhã (30) e sábadoã, às 21 horas; domingo, às 18 horas. De R$ 40,00 a R$ 100,00. Teatro Alfa. Rua Bento Branco de Andrade Filho, 722, tel. 5693-4000. Até domingo. Patrocínio: Arthur Andersen e Alcan

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.