Companhia Balagan apresenta seu novo espetáculo

A diretora Maria Thaís, da Cia. Balagan, surpreendeu-se com a força até hoje exercida pela imagem do primeiro czar de todo o território russo, Ivan IV, mais conhecido quando acompanhado do aposto explicativo O Terrível. Há oito anos, quando morou na Rússia, a baiana radicada em São Paulo sentiu-se fascinada pelo mito que ainda permanece extremamente vivo no imaginário popular. Passou cerca de um ano e meio por lá, realizando sua pesquisa de doutorado sobre o diretor teatral russo Vsevolod Meierhold e, pelo menos uma vez a cada dois anos, volta à Rússia para dar continuidade aos seus estudos, que agora se centram no entendimento do maior encenador contemporâneo russo, Anatoli Vassiliev.Foi durante uma conversa informal com o escritor ucraniano e tradutor do russo Boris Schnaiderman, há aproximadamente dois anos, que Maria Thaís ressuscitou o desejo de compreender melhor o que o mito de Ivan, O Terrível, representa para os nossos dias. Ele contou à diretora que o comandante do império russo trocou diversas correspondências com a rainha inglesa Elizabeth I durante vários anos de seus reinados. Era o pontapé inicial que faltava para a montagem do espetáculo Západ - A Tragédia do Poder que, após um ano de pesquisas e ensaios, estréia para o público. Depois de terem se aprofundado no universo feminino em Sacromaquia (2000) e no masculino em Tauromaquia (2004), é a vez de desnudar o poder, sob o ponto de vista de quem o exerce e se deixa enclausurar.Em russo, západ significa Ocidente, acepção que já traz embutida a idéia do poder, na opinião de Maria Thaís. "O poder é sempre uma tragédia, a partir do momento em que você é mais e eu sou menos. A única possibilidade, então, é a guerra", diz. Há dois anos, quando iniciaram as pesquisas que resultariam no espetáculo, a Cia. Balagan (cujo nome, em russo, significa uma forma de teatro popular e em árabe é sinônimo de confusão) já tinha em mente fazer com que esses dois poderes personificados se relacionassem. "Historicamente, tanto Ivan, O Terrível, quanto Elizabeth I tiveram uma história muito similar, são mitos individuais que também dizem sobre nós."Para desenvolver o enredo desta história, a diretora convidou os dramaturgos Alessandro Toller, Newton Moreno e Luis Alberto de Abreu. "Pensei em cada um dos três para escreverem sobre diferentes períodos da vida de Ivan e Elizabeth em consonância com o momento em que estão vivendo. Por exemplo, o Newton Moreno hoje tem 40 anos e vive sua idade adulta, a mesma que retratou para os personagens", explica. Por conseqüência, Toller criou a história dos sucessores ao trono na juventude e Luis Alberto de Abreu, na maturidade.Os três autores mantêm um relacionamento estreito com a companhia. Abreu orientou a pesquisa de Tauromaquia e foi quem apresentou Toller para digerir e apresentar a versão final deste mesmo espetáculo. Já Moreno trabalhou como ator na Balagan quando jovem, mas acabou enveredando para a criação de mundos fantásticos.No entanto, Maria Thaís frisa que os três movimentos que integram Západ não apresentam histórias independentes. "É um único espetáculo composto por três partes bem diferentes, mas com uma mesma concepção." De acordo com a pesquisadora, o primeiro movimento, intitulado De Neve e Neblina, carrega um tom lírico, enquanto o segundo movimento chamado com o breve título de A Peleja de Ivan, o Temível Czar da Rússia, & Elizabeth I, Isabel para os Íntimos, Monarca Virgem da Inglaterra - O Duelo do Século, do Milênio, de Toda Eternidade possui um humor dramático, quase num cordel. Por sua vez Dies Irae, a última parte escrita por Abreu, é épico.De Neve e Neblina tem duração de 1h05, A Peleja de Ivan e Elizabeth, 1h10, e Dies Irae, 55 minutos, sendo que às quartas e domingos, o grupo apresentará os três movimentos seguidos. "Deixamos de ter uma profissão para nos dedicar a um hobby, apresentando um único espetáculo apenas aos sábados e domingos", ironizou Maria Thaís. Marcada por seu teatro de pesquisa de alta qualidade, a Balagan apresenta nesta estréia apenas a primeira versão de sua obra.Os três movimentos Movimento I De Neve e Neblina (juventude) Dramaturgia de Alessandro Toller Ivan, o Terrível, e Elizabeth I, ainda jovens, são sucessores aos tronos da Rússia e da Inglaterra, respectivamente. Durante toda a juventude são acompanhados por um anjo. O bufão é o mestre dos futuros estadistas Movimento II A Peleja de Ivan, o Temível Czar da Rússia, & Elizabeth I, Isabel para os Íntimos, Monarca Virgem da Inglaterra - O Duelo do Século, do Milênio, de Toda Eternidade (idade adulta) Dramaturgia de Newton Moreno Ivan e Elizabeth atuam no circo de horrores da Companhia Mambembe de Teatro Balagan, cujo dono é o bufão Kaganovich. Ambos vão duelar com o objetivo de conquistar o trono. O anjo aconselha-os a seguir o melhor caminho neste teatro dentro do teatro Movimento III - Dies Irae (maturidade) Dramaturgia de Luis Alberto de Abreu O anjo conta a história do julgamento de Ivan e Elizabeth, além de seus respectivos bufões. Ele alerta para o esforço em vão pelo poder e percebe que também se tornou um personagem trágico ao ter participado da vida humana Západ - A Tragédia do Poder. Tusp (140 lug.). Rua Maria Antonia, 294, 355-5538. Estréia hoje o Movimento I, às 21 h. R$ 10

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.