Compagnie Galindo se apresenta no Sesc

Josias Torres Galindo, radicado há 13 anos na França, fundou em 1994 a Compagnie Galindo, em Nantes. Ele está de passagem por São Paulo para apresentar as coreografias O Estrangeiro, Pré-Trato e Re-Trato, no Sesc Ipiranga. Trabalhos que também serão conferidos pelos franceses nos próximos meses no Espace Culturel Onyx de Saint-Herblain."Esses trabalhos de dança contemporânea foram realizados por meio de um intercâmbio entre Brasil e França, isto é, parte da criação foi feita aqui, como a coreografia Re-Trato", conta Galindo. As apresentações começam com o solo O Estrangeiro, criado em 1997, que procura reproduzir os movimentos dos pássaros.Pré-Trato, uma coreografia sem narrativa, explora diversas expressões artísticas e movimentos corporais e gestuais dinâmicos. "Pré-Trato é uma investigação sobre as pessoas que não dançam no contexto coreográfico profissional", afirma Galindo. No elenco, Daniel e Gustavo Murray tocam violões e a atuação fica por conta de Galindo e Pascal Maillard.Para fechar a programação, Re-Trato. "O nome da coreografia é uma brincadeira com a dualidade da palavra", explica o diretor. "Trabalho com as lembranças, procuro fazer uma retrospectiva por meio de três pessoas que viveram juntas uma parte da vida, se separaram e tempos depois se reencontram para trocar experiências." Momentos agradáveis e ruins estão estampados na obra, como em um fotografia.Quanto à criação da coreografia, Galindo diz: "Costumo explorar a capacidade física de cada bailarino, eu crio o movimento, mas dou liberdade para o bailarino auxiliar na composição da peça, então posso dizer que a responsabilidade é de ambos." O diretor também se baseia na marcação do espaço utilizada pelo balé clássico."Uso essas marcações para facilitar a localização cênica, mas as técnicas são de dança contemporânea; estudei na Alemanha com Susanne Linke e ela foi uma grande influência." O coreógrafo carioca viajou para a Alemanha em 1987, onde trabalhou por um ano e meio, e depois se mudou para a França. Lá a sua companhia faz parte do Collectif Compagnies de Région e recebe subvenções estatais.Pelo Brasil recebeu o apoio do Centro de Encontro das Artes, o Cena, dirigido por Gilda Murray e do Sesc. "Estaremos em Araraquara na terça-feira; em Ribeirão Preto no dia 21, em Santos no dia 25 e voltamos à capital no dia 3, quando dançamos no Teatro Municipal em um espetáculo gratuito." Em seguida, a Compagnie Galindo vai para o Rio de Janeiro, na Casa da Cultura Estácio de Sá. Compagne Galindo - Direção de Josias Torres Galindo; Sexta e sábado, às 21 horas; domingo, às 20 horas. De R$ 6,00 a R$ 12,00. Teatro do Sesc Ipiranga. (Rua Bom Pastor, 822, tel. 3340-2000)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.