Como lá em casa

Sonho: melhores fraldários têm até pomadas e fraldas grátis. Pesadelo: há os que só têm uma prancha dura para a troca de fraldas

16 de abril de 2008 | 19h20

Ter um lugar agradável e limpo para trocar o bebê deixa qualquer mãe satisfeita. Por isso, shoppings como o Villa-Lobos não economizam mimos em seu fraldário. O espaço tem 35 m2 e foi desenvolvido pela decoradora Vanessa Guimarães com o objetivo de ser "uma extensão da casa". Além de área para troca e amamentação, o Villa Baby Dreams tem um lugarzinho especial para crianças maiores brincarem enquanto a mãe ou o pai cuidam do caçula. O shopping ainda tem itens de higiene, como pomadas, lenços umedecidos e fraldas - tudo grátis. Plaza Sul, Morumbi, Santana Parque, Boavista, Market Place, D&D, SP Market, Jardim Sul e Interlagos também têm ótimas áreas de fraldário, todos mais ou menos padronizados e com produtos sem custo.Na falta de um espaço destinado para os bebês, o Center 3 deixa muito a desejar frente a outros shoppings. Nos banheiros femininos, há apenas uma prancha com um colchonete forrado de papel para fazer as trocas. O fraldário do Interlar Interlagos também é ruim, pois está localizado dentro da sala de emergências, muito escondido.Bebê retrô Esta banheira fofa e retrô faz parte do fraldário do Shopping Santana Parque. Além de trocar as fraldas, as mães podem banhar os filhos. Plaza Sul, Metrópole e SP Market também têm. Sem crianças Casais com crianças parecem ser ignorados em alguns shopping centers. Isto porque eles têm raras opções de lazer infantil. Os de decoração costumam ser os piores - como o D&D e Interlar -, mas também são ruins o Nações Unidas, voltado a executivos, e o Iguatemi, sóbrio e com poucas alternativas de diversão. Mãe, pode ser no Eldorado? Já que "praia de paulistano é shopping", como dizem, é natural que se leve a criançada para passear em um dos muitos que existem na cidade. Mas se você quer que elas realmente se divirtam, a opção mais acertada é o Eldorado. Nenhum outro tem tantas alternativas de lazer infantil. A maior atração é o Parque da Mônica, com mais de 30 brinquedos. Uma das sensações é o escorregador de rolinhos, que sai da entrada do espaço, no térreo, e desce até o segundo subsolo. Para meninos e meninas que gostam de jogar, o Laser Shots é o mais indicado - a batalha interativa acontece em uma arena com luz negra, neblina e efeitos especiais de som. Já os mais novinhos podem ficar no Kids Center, onde há brinquedos de montar, piscina de bolinhas, triciclos e monitoras. Só de vez em quando Até poucos dias atrás, a área infantil do Shopping Santa Cruz era a pior possível. Apesar de ter monitores e diversos brinquedos, como tobogã e piscina de bolinhas, ela ficava em um canto do estacionamento G1, e não era protegida por vidros. Imagine deixar seus filhos brincando em meio à fumaça dos carros? Desde o começo de abril, porém, o shopping mudou a área para o piso L1. Está bem melhor, mas não abre sempre. Berçário: aqui não paga Não é comum, mas ainda existem shoppings com berçários grátis, como o Plaza Sul. Nos demais casos, as poucas áreas existentes são pagas - caso do Jardim Sul e do Morumbi. Mas pode chamar de ecoturismo Os esportes radicais saíram dos espaços ao ar livre para ganhar lugar dentro dos centros de compras. Já é bastante comum encontrar em shoppings paredes de escalada, como no Centro Comercial Leste Aricanduva, e arvorismo, no Eldorado. Neste último, a garotada atravessa obstáculos pendurada por cordas, sempre com a supervisão de monitores. A idade mínima é de quatro anos e não são permitidas pessoas com mais de 100kg.  Naquela idade A combinação de boliche com games faz do ABC Plaza e do Interlagos lugares cheios de adolescentes. No ABC, por exemplo, o espaço de lazer no piso superior tem 24 pistas de boliche, bar, jogos e dardos eletrônicos, vídeos e simuladores distribuídos em 7 mil m2 de área. Ao preço de R$ 47, até seis pessoas podem brincar durante uma hora no boliche. O Interlagos também tem 24 pistas do jogo (R$ 64 a hora), além de um grande espaço Playland, no subsolo do shopping.  Escola de skate Para os amantes de skate, o Centro Comercial Leste Aricanduva criou até uma escola com direito a rampa e aulas de história do esporte. Crianças a partir de três anos já podem ingressar na escola, que cobra R$ 60 por aula - são quatro por semana. No curso, elas aprendem da teoria às técnicas de quedas.Os aficionados por velocidade também têm espaço garantido no Aricanduva, que dispõe de uma pista de kart no Auto Shopping. O Interlagos também possui uma pista de kart e a procura é bastante grande. Ali, os adolescentes perdem a vez para os ansiosos pais e tios - a brincadeira é liberada para os que têm mais de 1,40m de altura. Mas acelerar na pista de 450 m não sai barato: são R$ 38 os primeiros 20 minutos para cada pessoa.

Tudo o que sabemos sobre:
Guia de Shoppings

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.