Como administrar o sucesso

José Luiz Tejon inspirou-se na própria experiência para escrever O Código da Superação, que ele autografa hoje

UBIRATAN BRASIL, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2012 | 03h11

Superar problemas graves é um desafio que muitos enfrentam, mas dar um passo a mais, não se contentar com a vitória, é tarefa assumida por poucos. Entre eles, o jornalista e publicitário José Luiz Tejon, que narra sua aventura em O Código da Superação (Gente Editora), livro que será lançado hoje na Livraria Saraiva do MorumbiShopping.

Trata-se do relato de uma viagem realizada em abril de 2010 para Tel Megiddo, o Armageddon, em Israel. Antes, porém, é momento de um flash-back: aos 3 anos, Tejon teve seu rosto todo queimado num acidente doméstico. Até os 15, foi submetido a inúmeras cirurgias plásticas. Ele queria ser igual a todo mundo. Mas foi obrigado a aceitar a diferença.

Dedicado ao trabalho, tornou-se referência em seu ofício - foi diretor do Grupo Estado por 18 anos e CEO da OESP Mídia. Também ocupou importante cargo no Grupo Agroceres e na Jacto. Tamanha experiência inspirou palestras que já chegaram a diversos países. Tejon também publicou 28 livros. Mesmo assim, ele sentiu que ainda faltava algo. "Percebi que precisava descobrir qual é o código que aciona minha vontade de superar", conta ele, no texto de orelha do livro. "Como decifrar esse código que me manteve vivo e me tornou bem-sucedido, uma vez que isso não era considerado possível?"

Foi quando sua jornada o levou às ruínas de Tel Megiddo. Curiosamente, um de seus sobrenomes é Megido, termo que faz parte do texto do Apocalipse do Armageddon. "A partir da leitura desse texto, tive um insight de ir até Israel, no sítio arqueológico de Tel Megiddo."

O livro, portanto, traz um relato da sequência dessas experiências vividas - O Código da Superação enumera as reflexões de Tejon a partir de cada dia de meditação no Armageddon, sobre as 12 causas mais relevantes da alma humana e do enfrentamento superante: trauma, abandono, infância, amor, competição, carreira, educação, derrota, morte, agressão, beleza e sucesso. "Eu queria fazer um mergulho em busca da essência de minha alma", conta ele, em entrevista divulgada pelo site do livro (www.ocodigodasuperacao.com.br). "A partir das vivências passadas lá, um lugar que foi destruído e reconstruído 25 vezes em 10 mil anos, pude escrever com mais propriedade sobre quais os caminhos e jornadas que o homem precisa para ir além de suas próprias superações."

O livro oferece ainda uma codificação que surgiu espontaneamente, sem que o autor premeditasse. Assim, ele primeiro fala das ilusões e de quatro recompensas: felicidade, eternidade, liberdade e amizade. E, para facilitar o início do processo de busca da superação pelo leitor, Tejon aponta os quatro caminhos que considera iniciais: acreditar na alma, prestar atenção, não ser indiferente à vida e, principalmente, descobrir o próprio código.

"Normalmente, as pessoas associam a superação com transpor apenas um obstáculo, em um momento difícil", comenta. "Mas, o que fazer depois que se alcança o sucesso? Trabalhar no caminho da sublimação dessas energias positivas e negativas, no sentido da criação, é inevitável, pois atrás da criação tem sempre uma força poderosa, e destrutiva, como no Armageddon, com suas construções e reconstruções. E viver é compreender essa verdade entre bem e mal e buscar o equilíbrio."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.