Começa hoje o Panorama da Arte Brasileira 2003

Começa na noite desta quinta-feira no Museu de Arte Moderna de São Paulo o Panorama da Arte Brasileira 2003. Com curador estrangeiro e uma seleção enxuta de artistas participantes, a mostra investe em novidades. A primeira se chama Gerardo Mosquera. Crítico de arte cubano com grande trânsito pelo circuito de arte da América Latina e dos Estados Unidos (ele é curador no New Museum de Nova York), ele chega com uma proposta de mostrar muito com poucos artistas. São 19 os selecionados para o Panorama deste ano. Há grandes estrelas da arte brasileira, como Cildo Meireles, Adriana Varejão, Ernesto Neto, José Dasmasceno e outros. Os trabalhos dos 19 artistas foram organizados a partir da idéia de que a arte brasileira é marcada por uma espécie de ?desarranjo?, um curiosa interpretação do curador acerca da vocação (des)construtiva da arte brasileira. ?Esse desarranjo pode ser realizado na dimensão formal da obra, em seu conteúdo, em sua projeção, ou em todos eles?, explica Mosquera. Ele também assumiu uma tarefa parecida: desconstruir, estremecer esta mostra já histórica que, iniciada em 1969, é considerada a segunda mais tradicional do Brasil, atrás apenas da Bienal de São Paulo. Assim, Mosquera inseriu novidades como a implosão das limitações espaciais, e a idéia de que a mostra deve descobrir novos talentos e tendências, antigos parâmetros do Panorama da Arte Brasileira. Panorama da Arte Brasileira 2003 - MAM. Avenida Pedro Álvares Cabral, s/n.º, Parque do Ibirapuera, portões 2 e 3, tel. 5549-9688. Até 30/11. Terça, quarta e sexta, das 12h às 18h; quinta, das 12h às 22h; sábado, domingo e feriado, das 10h às 18h. R$ 5,00.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.