Combate a piratas divulga balanço

A União de Combate à Pirataria (que é integrada por fabricantes de discos, de software, vídeo, telecomunicações por assinatura e filmes, entre outras) divulgou ontem em São Paulo o balanço de sua ação em 2002. Foram apreendidos 5 milhões de CDs virgens só no Porto de Paranaguá e fechadas 76 fábricas clandestinas, capazes de copiar 40 milhões de títulos por ano. Os setores mais atingidos pela pirataria são os da música (53% tomado) e software (56%). O faturamento da indústria legal de CDs caiu 25%, ficando no patamar de R$ 1 milhão e vendendo 80 milhões de discos. Na área literária, o prejuízo é de R$ 350 milhões por ano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.