Com rock e jovem guarda, ele sela seu melhor momento

Ortinho afirma com convicção, que Herói Trancado é um "divisor de águas" em sua carreira. Mais do que nos álbuns anteriores, aqui ele revela determinação de propósitos, mas não só isso. Além do conceito do disco, as canções estão mais redondas, cativantes, a voz mais segura, mais potente e bem colocada, os arranjos limpos, as letras, bem construídas. É a realização de uma busca pela simplicidade, sem dispensar a sofisticação melódica, que tem pautado seus contemporâneos, também ligados no mesmo motor.

Lauro Lisboa Garcia, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2010 | 00h00

É diferente de uns e outros medalhões da MPB que procuram dar tratamento "requintado" a canções banais de artistas populares, em atitudes meramente populistas. A geração de Ortinho, Marcelo Jeneci, Andreia Dias, e das bandas Do Amor e Cidadão Instigado, entre outros, da mesma maneira como incorpora com naturalidade as referências tropicalistas - que também tinham sua parcela de cafonice assumida, do iê-iê-iê, do bolero e do dramalhão - o faz com a jovem guarda e seus sucessores, Raul Seixas incluído.

Sem deboche, nem oportunismo, eles vêm se tornando novos hitmakers, ainda que permaneçam no underground, mas, enfim, criando canções de fácil assimilação, vitaminadas com inteligência e musicalidade genuína, pra tocar no rádio da patroa e da empregada. Não por acaso Arnaldo Antunes (ex-Titãs do Iê-Iê) está no centro desse tornado - os Tribalistas já sinalizavam a tendência em 2002.

Ortinho não caiu de paraquedas nessa maré. E também não faz só manobras radicais no brega. No fundo é tudo rock - e ele tanto se dedica ao mais básico e clássico como pega pesado em algumas faixas. As duas primeiras - O Cara do Outro Lado e Saudades do Mundo (esta com a voz de Jorge Du Peixe e o sax de Spok)- são puro Reginaldo Rossi. Modelo Vivo já muda de linha e tem um dos arranjos mais bonitos. Moldura é um primor de rock doloroso tendo a solidão como tema.

Herói Trancado, a canção, volta à jovem guarda e é uma das melhores nessa linha, com versos como "Fiquei trancado do lado de fora/ Deixando você livre para eu ir embora". A voz de Arnaldo dá um tom de maior gravidade a Retrovisores. Em Pense Duas Vezes..., rock mais acelerado, a voz de Ortinho lembra a de Zeca Baleiro. Você Não Sabe da Missa Um Terço, outro tema dos mais fortes, remete a Wild Thing, dos Troggs. Como ninguém é de ferro, também tem uma balada (Sonhar de Novo) para selar essa saudável mudança de rumos de Ortinho, antes de arrematar com outro rock incendiário, Já Fui Rei. Sem dúvida é seu melhor momento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.