Com presença de Lula, começa a Teia 2007 em Minas

A cidade de Belo Horizonte (MG) vai se transformar de hoje até domingo num pólo cultural brasileiro. Começa hoje a 2ª edição do festival cultural Teia 2007, fruto do programa Cultura Viva, criado em 2004 pelo Ministério da Cultura (MinC). Com presenças confirmadas do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, do ministro da Cultura, Gilberto Gil, além dos representantes do Estado de Minas Gerais - o governador Aécio Neves (PSDB), e o prefeito da capital, Fernando Pimentel, a Teia 2007 dá a largada, às 16h, no Grande Teatro.No ano passado, a Fundação Bienal, na cidade de São Paulo foi a sede do encontro, que recebeu o subtítulo de "Venha se Ver e ser Visto", extraído do conto "Espelho", de Machado de Assis . Desta vez, com o lema "Tudo de Todos", fica a cargo da capital mineira receber esta avalanche cultural, que tem como principal bandeira a integração.No "cardápio", de tudo um pouco que envolve cultura. Haverá aula-espetáculo do escritor e dramaturgo Ariano Suassuna, exibição de documentários, cinema infantil, rodas de capoeira, oficinas e muitas discussões com debates, palestras e seminários. A música também estará presente. Com curadoria de Jorge Mautner, ela vem nas vozes de Rappin'' Hood, Alceu Valença, Martinho da Vila, Fagner, George Israel, entre outras.Para o encerramento, no domingo, está prevista uma grande Culturata. Os eventos ocorrem em alguns pontos da capital mineira, como o Palácio das Artes, Teatro Francisco Nunes, Serraria Souza Pinto, Museu de Artes e Ofícios, Praça da Estação, Centro Cultural UFMG, Estação do Conde e Funarte Casa do Conde. "A Teia tem três dimensões: a celebração, a reflexão com seminários e a organização", observa o secretário de Programas e Políticas Culturais do MinC, Célio Turino.De iniciativa do governo federal, o programa Cultura Viva subsidia Pontos de Cultura por diversas cidades do País. Trata-se de locais que promovem as mais diversas ações de arte - de teatro, dança, música, circo, entre outras. Célio Turino afirma que o projeto tem como objetivo potencializar as produções e que são focadas regiões que têm mais dificuldade para obter recursos públicos para cultura. Atualmente, já são 680 Pontos de Cultura espalhados pelo Brasil em quase 300 municípios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.