Com pop e eletrônica, Rio Mix Festival espera 15 mil pessoas

O Rappa, Skank, Cidade Negra e Marcelo D2 são algumas das atrações do evento desta noite

Pedro Henrique França, da Agência Estado

28 de setembro de 2007 | 13h26

Pop, rock e hip-hop. O Rappa, Skank, Cidade Negra, Capital Inicial e Marcelo D2 se unem nesta sexta-feira, 28, para tocarem no Rio Mix Festival, que acontece no Riocentro, na capital fluminense. O evento, que começa às 22 horas e vai até o amanhecer, ocupará uma área de 30 mil metros quadrados, e, segundo seus organizadores - uma parceria da New Quality com a Rádio Mix - estima-se receber até 15 mil pessoas. Quem abre o evento, é o rapper Marcelo D2, às 22 horas, que apresenta seu estilo hip-hop com influência do samba. O reggae-pop do Cidade Negra vem na seqüência, pouco depois das 23 horas. Os mineiros do Skank promovem o trabalho Carrossel, sem deixar os hits de fora, à 0h30. O Rappa mostra ao público seu último álbum, o Acústico MTV, lançado no final de 2005. Entre os sucessos, Rodo Cotidiano, Pescador de Ilusões e Me Deixa. Quem fecha o palco principal é o rock do Capital Inicial, já às 3 horas.  Em paralelo ao palco principal, onde ocorrerão os shows, uma outra tenda será armada para quem gosta de música eletrônica. Os DJs Naldo Torres, Luca di Napoli, a dupla Marcelo e Marcos Braga, Leo Janeiro, Marcio Careca e Cobra, prometem agitar as pick-ups até pouco mais de 6 horas.  Os ingressos para o Rio Mix Festival variam entre R$ 80 (antecipado) e R$ 90. No camarote, os tíquetes chegam a R$ 240. A organização informa que o estacionamento comporta cerca de sete mil vagas. Rio Mix Festival. Riocentro, Av. Salvador Allende, 6555, Barra da Tijuca, tel (21) 2493-9494. Sexta-feira (28), a partir das 22h (abertura dos portões às 19h30).

Tudo o que sabemos sobre:
Riopop-rockmúsica eletrônica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.