Renata Jubran/AE-18/1/2006
Renata Jubran/AE-18/1/2006

Com Paulo Autran, dentro e fora do palco

Casamento com ator marcou definitivamente sua carreira

Maria Eugênia de Menezes, O Estado de S.Paulo

27 de janeiro de 2011 | 00h00

Não foi propriamente um caso de amor à primeira vista. Quando conheceu Paulo Autran, durante a montagem de Em Família, peça de Vianinha, Karin Rodrigues lembra que mal o notou. "Na época, estava apaixonadíssima por outro." Foi só um tempo depois, quando se reencontraram em Equus, que começariam a se aproximar. "Depois disso fizemos Dr. Knock, ficamos amigos e aí... ficamos."

Desde 1972, estiveram juntos em cerca de 20 peças. Fizeram grandes sucessos, como a montagem de Pato com Laranja. Em 2003, ele a dirigiu em Vestir o Pai. E dividiram o palco por um ano durante a última interpretação do ator, em O Avarento.

"Tudo o que sei de teatro, se sei alguma coisa, aprendi com ele. Vendo-o representar", diz ela. Também gostavam de assistir a todas as peças em cartaz. "Víamos tudo. As montagens consagradas, as alternativas. E comentávamos as interpretações." Mas não falavam só de trabalho, não.

O que não podia faltar, ela lembra, eram os jogos de cartas que atravessavam a madrugada. As idas ao cinema. Almoços e jantares que faziam questão de compartilhar. "Eu almoçava todos os dias na casa dele. Depois, às 17h30, ele ia para minha casa." Passavam a maior parte do tempo juntos. Oficializaram o casamento em 1999, mas sempre conservaram endereços separados.

Ela deixava os cachorros sentarem no sofá. Ele achava o hábito horrível. Ela abria as janelas. Ele fechava. "São detalhes bobos. Mas existem aqueles momentos em que você não quer conversar com ninguém", ela comenta. "Quer ficar quieto, lendo seu livro. Pensando. Às vezes, a gente precisa deixar uns espaços, sabe? Umas páginas em branco no caderno."

UMA LONGA PARCERIA

Em Família

Eles se conheceram na peça de Vianinha, com direção de Antunes Filho.

Pato com Laranja

O casal fez sucesso com o espetáculo que estreou em 1979.

Traições

Em 1982, encenaram o texto de Harold Pinter, sob a direção de José Possi Neto.

Vestir o Pai

Autran dirigiu Karin, na comédia de Mario Vianna, em 2003.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.