Com frutas

Yuri é um daqueles russos que só estavam esperando o fim do comunismo para ficar multimilionários. Ouvira dizer que o lugar no mundo para se conhecer mulheres sensacionais era o Brasil. Fez um curso rápido de português, o bastante para não se perder ou ser enganado no Rio, e veio.

VERISSIMO, O Estado de S.Paulo

24 de novembro de 2013 | 02h21

*

No avião a caminho do Rio, Yuri sentou-se ao lado de um brasileiro, e quis a sorte que fosse um brasileiro gaiato. Uma das comissárias de bordo do avião era belíssima e quando começaram a servir o café da manhã antes da aterrissagem no Galeão, Yuri virou-se para seu companheiro de voo e perguntou:

- Como se diz "quero fazer sexo com você" em português?

- Iogurte - disse o brasileiro.

Quando chegou a sua vez de pedir à aeromoça o que queria com seu café, Yuri disse depressa:

- Iogurte!

E a aeromoça:

- Com frutas ou natural?

E Yuri, radiante, se convenceu que estava vindo para o lugar certo.

*

Relatório. Mateus não era um simplório. Era um homem inteligente e bem informado. O que não significa que não tenha ficado intrigado, sem saber se era verdade mesmo ou brincadeira, quando sua mulher Dalinda disse que tinha recebido um relatório da CIA a seu respeito.

- Cumé?

- O serviço de espionagem americano tem seguido todos os seus passos.

- Que bobagem é essa, Dalinda? Por que os americanos iriam se interessar por mim?

- Eu pedi.

- O quê?!

- Eu pedi. Gravações 24 horas por dia, todos os dias. Neste momento tem um satélite americano contando os seus fios de cabelo.

- Vai me dizer que a CIA trabalha para você?

- Eles fazem serviço pra fora. Espionam qualquer um, por uma módica quantia. É uma das maneiras que têm de financiar o programa.

- De qualquer maneira, eu não fiz nada suspeito. Eles não tem o que espionar.

- Não é o que diz o relatório.

- Quero ver esse relatório.

- Nem pensar.

- Você está blefando, Dalinda.

- Acredite o que quiser.

Matheus deu uma gargalhada. Com quem a Dalinda pensava que estava tratando? Ele não era um simplório. Mas a verdade é que tem ficado mais em casa, cortou os encontros com a Suzette às quintas-feiras e volta e meia olha para o alto, tentando ver alguma coisa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.