Com conteúdo 100% nacional, Sexy Hot estreia no Vídeo Sob Demanda

Plataforma de Vídeo Sob Demanda da Net, a maior operadora do País, o Now passa a contar, a partir de setembro, com o único canal erótico da Playboy do Brasil que faltava ao seu menu. O Sexy Hot vai se juntar ali às ofertas do Venus, Private, For Man, Sextreme e Playboy, além do formato Hot Shots, com cenas curtas, e das produções em 3D da Playboy, um hit do gênero. "Os canais eróticos são, ao lado dos esportivos, um sucesso de acesso na plataforma de 3D disponível no Now", contou à coluna o diretor dos Canais Playboy no Brasil, Maurício Paletta, Mas, diferentemente da praxe do Now, que não cobra taxas extras de quem já assina os conteúdos ali ofertados, o Sexy Hot terá, sim, custo adicional mesmo para quem já assina o canal à la carte.

O Estado de S.Paulo

03 de agosto de 2012 | 03h12

"Nada é de graça nesse segmento", admite Paletta. A vantagem é que o conteúdo poderá ser acessado mesmo por quem não paga a mensalidade desses canais. O Sexy Hot estreia no Now com filmes de longa e média metragem, a um preço que varia entre R$ 10 e R$ 15 por título. É mais do que o consumidor gasta numa locadora convencional, mas a indústria do gênero sabe que este é um assunto de alto potencial para o consumo de video sob demanda. Em recente pesquisa, a Playboy do Brasil constatou que privacidade e segurança são primordiais para a assinatura de canais eróticos para 74% dos entrevistados. E 63% dos interessados em conteúdo adulto ficam motivados a assinar canais eróticos só para não ter de se expor numa videolocadora. Hoje, os sete canais da marca Playboy somam mais de 300 mil assinantes no sistema à la carte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.