Colin, Jude e Depp, nobres amigos salvam o filme

Em Cannes, no ano passado, Terry Gilliam contou que o projeto de Doutor Parnassus foi gestado durante muito tempo. Sempre quis fazer um filme sobre trupe de teatro ambulante e terminou por formatar essa história que chegou a um impasse com a morte de Heath Ledger, que faz papel decisivo. Gilliam já havia passado por crise parecida quando fazia adaptação de Dom Quixote, que nunca foi concluído. Doutor Parnassus teria a mesma sorte?

Luiz Carlos Merten, O Estado de S.Paulo

07 de maio de 2010 | 00h00

"Ainda faltavam muitas cenas com Tony (personagem de Ledger). A morte dele ocorreu num intervalo das filmagens. Havíamos terminado na Inglaterra e íamos recomeçar no Canadá. De cara, pensei em desistir, mas depois concluí de que o próprio Heath gostaria que o filme fosse concluído. Como as cenas que faltavam se passam do outro lado do espelho, no mundo da fantasia, tudo se tornou possível. Seria uma bela homenagem se os amigos de Heath criassem o papel por e para ele, imaginando como os faria. Johnny Depp, Colin Farrell, Jude Law foram maravilhosos. Foi a amizade, a dedicação deles que salvou o filme. Minha relação de carinho por esse filme, e por eles, é imensa."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.