Colegas escritores comemoram prêmio para Alice Munro

Para o espanhol Javier Marías, 'se alguém merecia o Nobel, era ela'

EFE

10 de outubro de 2013 | 13h20

O escritor espanhol Antonio Muñoz Molina disse ter sentido "uma alegria gigantesca, enorme" ao saber do Prêmio Nobel para a canadense Alice Munro. "É uma mulher prodigiosa, que tem a virtude de comprimir o tempo e a vida no espaço de um conto", disse. "Em um conto de Alice Munro cabem dez novelas completas", afirmou. E concluiu? "É raro que se faça tanta justiça como o Nobel fez hoje."

Para Javier Marías, o prêmio é "muito justo". "E acho particularmente feliz que a Academia tenha escolhido uma autora que se dedica aos contos, um gênero que tem sido deixado de lado nos últimos tempos. Munro alcançou em sua obra, de maneira muito sóbria, grande emotividade. Seus contos são emocionantes. Se alguém merecia um Nobel, era ela", disse o escritor espanhol.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.